Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mostra a Tua Alma Serrana!


O SUFICIENTE PARA SEGUIR EM FRENTE

por ultraserranos4605, em 21.01.19

PAMPILHOSENSE - ACADÉMICA SF

Pampilhosense - Académica SF Oitavos final Taça

 

Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra
Oitavo de final da Taça AFC
Assistência: cerca de 120 espetadores
Árbitro: José Oliveira
Auxiliares: Gonçalo Ribeiro e José Castanheira
Ao intervalo: 0-0

 

Pampilhosense:
Cédric, Abel, Renato, Kiko Dias, Flávio Salgado, Rafa, Will, Ricky, Amândio (Miguel Barreto 62’), Simão (Rui Velho 80’) e Dias (Rola 91’).
Suplentes não utilizados: Kiko, Seco, Cristiano e Luís Ramos
Treinador: Carlos Alegre

 

Académica SF:
Pedro Dias, Tomás, José Andrade, Alex Moreira, Leão, Leandro Souza, Cheik, Hugo (Pacheco 58’), Dionysis, C. Vasco (Rosas 45’), Lousado (André 81’).
Suplentes não utilizados: Xico, Francisco, Louro e Xavi.
Treinador: Luís Valada

 

Ação disciplinar:
Amarelos: Renato 43’

 

Golos: Kiko Dias 74’ (P)

Pampilhosense - Académica SF Oitavos final Taça

 

Este, para a Taça AFC, era o primeiro de dois confrontos entre Pampilhosense e Académica SF no espaço de duas semanas. Os serranos, em ano que a final se disputa em Pampilhosa da Serra, queriam seguir em frente na prova, mas do outro lado estava um conjunto estudantil que vinha disposto a surpreender.

Pampilhosense - Académica SF Oitavos final Taça

 

A primeira metade reuniu poucos motivos de interesse. Mas o Pampilhosense até entrou bem, dando um claro sinal de que queria resolver as coisas cedo quando, aos 4’, Flávio Salgado cruzou da esquerda e Simão surgiu a rematar, com perigo, por cima do travessão. Mas a vontade pampilhosense ficou-se pelo primeiro quarto de hora, depois não mais o conjunto de Pampilhosa da Serra criou perigo junto da baliza da Académica SF e a exibição ficou algo cinzenta. O jogo corria de feição aos estudantes e, aos 34’, numa jogada de insistência depois de um canto, Lousado surge em boa posição para marcar, mas Cédric mostrou atenção com uma boa defesa. Ao intervalo o nulo espelhava bem o que tinha acontecido dento do retângulo de jogo.

Pampilhosense - Académica SF Oitavos final Taça

 

Na segunda metade o cariz do jogo foi um pouco diferente. A equipa de Pampilhosa da Serra entrou mais determinada e aos 56’ tem a primeira situação de perigo, depois de um canto curto com Dias, bem colocado, a surgir a cabecear para as mãos de Pedro Dias. A turma da casa estava na mó de cima, mas sentia algumas dificuldades em construir claras situações de golo, perante uma boa organização defensiva da Académica SF. Até que aos 73’ Will é derrubado no interior da grande área por José Andrade, sendo assinado pontapé de penalti. Kiko Dias foi chamado a converter e não desperdiçou a oportunidade para colocar o Pampilhosense na frente do marcador. Até final a equipa da casa controlou o adversário, e podia ter sentenciado o encontro quando, aos 77’, resultado de uma boa jogada pela direita, Ricky serviu Simão e este rematou forte para uma excelente defesa do guardião Pedro Dias. Os estudantes ainda tentaram contrariar o rumo dos acontecimentos, mas os serranos seguraram a vantagem e a passagem à próxima eliminatória.

Pampilhosense - Académica SF Oitavos final Taça

 

O inicio do jogo até prometia uma exibição muito positiva do Pampilhosense, mas tudo não passou de uma promessa, isto no primeiro tempo. Já a etapa complementar trouxe um Pampilhosense diferente, para melhor. A equipa serrana foi em busca do golo, mas pela frente encontrou uma Académica SF bem organizada. No entanto iria ser um golo de pontapé de penalti que colocaria justiça no marcador, o primeiro que a equipa dispôs nesta época, perante oito contra!

 

O trio de arbitragem parece ter realizado um trabalho satisfatório. Apesar dos protestos da equipa dos estudantes relativamente ao lance que originou o pontapé de penalti.

 

Resultados:
Sourense 1-0 Vigor Mocidade
Marco

 

Pampilhosense 1-0 Académica SF
Kiko Dias

 

Carapinheirense 2-1(AP) Eirense
David e Carlos Santos (CDC); Afonso (UCE)

 

Ançã FC 1-0 União FC
Xuna

 

Atl. Arganil 1-2 Condeixa
Alexandre (AAA); Rochinha (ag) e Wilson (Con)

 

União 1919 0-2 Mocidade FC
Zé Costa e Beto

 

Febres 1-1 (5-4gp) Penelense
Craveiro (Feb); Diogo (Pen)

 

Cova Gala – Naval 1893 (17/02)

 

Quartos de final:
Febres – Cova Gala/Naval 1893
Condeixa – Carapinheirense
Pampilhosense – Ançã FC
Sourense – Mocidade FC

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:41

REVIRAVOLTA PARA PRÓXIMA ELIMINATÓRIA

por ultraserranos4605, em 24.12.18

PAMPILHOSENSE - MARIALVAS

Pampilhosense - Marialvas II Eliminatória Taça A

 


II eliminatória Taça AF Coimbra
Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra
Assistência: cerca de 150 espetadores
Árbitro: Diogo Santos
Auxiliares: Ivo Silva e Fernando Gouveia
Ao intervalo: 0-1

 

Pampilhosense:
Kiko, Seco, Renato, Cristiano, Amândio, Rafa, Ronaldo, Will (Abel 68’), Miguel Barreto (Simão 58’), Ricky e Dias (Kiko Dias 90’).
Suplentes não utilizados: Cédric, Rola, Rui Velho e Luís Ramos
Treinador: Carlos Alegre

 

Marialvas:
Neto, Gaby, Xavier, Jesus, João Mário, Beny (Rodrigo Tomé70’), Bita, Carlitos, Ivo, Diogo (Didi 84’) e Xano (Levezinho 76’).
Suplentes não utilizados: Rodrigo Cruz, João Maria, Rochinha e Arlindo.
Treinador: Luís Augusto

 

Ação disciplinar:
Amarelos: Ricky 88’ (Pampilhosense); Carlitos 53’, Ivo 64’ e Bita 79’ (Marialvas)

 

Golos: Dias 52’ e 81’ e Ronaldo 92’ (Pampilhosense); Carlitos 45’ (Marialvas)

Pampilhosense - Marialvas II Eliminatória Taça A

 

No ultimo desafio de 2018 Pampilhosense e Marialvas voltavam a se encontrar nesta temporada, desta feita a contar para a Taça, depois de um nulo para o campeonato. Os serranos querem ir longe nesta prova que tem final na sua casa, enquanto os homens de Cantanhede também ambicionavam seguir em frente e continuar nos bons resultados.

Pampilhosense - Marialvas II Eliminatória Taça A

 

A equipa serrana começou melhor, a ter mais iniciativa, também por estratégia do adversário, e deu o primeiro sinal aos 16’, através de um remate da meia distância de Miguel Barreto que levou perigo à baliza de Neto. Mas foi pouco depois, aos 19’, que surgiu a melhor ocasião para o Pampilhosense, depois de Amândio servir atrasado Dias e este rematar à entrada da pequena área, a bola ainda sobrou para Ricky que, à boca da baliza ao segundo poste, atirou para defesa de Neto. Perto do final do primeiro tempo a equipa de Cantanhede aventurou-se no ataque e saiu em transição rápida através de Ivo que, ao ultrapassar Kiko, é derrubado em falta, sendo assinalada grande penalidade. Carlitos foi chamado a converter o castigo máximo que Kiko ainda defendeu, mas na recarga o médio do Marialvas não perdoou e colocou a sua equipa a vencer.

Pampilhosense - Marialvas II Eliminatória Taça A

 

Na segunda metade o Pampilhosense tinha que correr atrás do prejuízo e desde cedo demonstrou que queria alterar o rumo dos acontecimentos. Logo aos 52’, na sequencia de um canto, Dias fugiu à marcação e, de cabeça, restabeleceu o empate. O golo animou ainda mais as hostes serranas que, aos 61’, quase fizeram a cambalhota no marcador com Will, completamento sozinho à entrada da pequena área, a rematar ao poste da baliza do Marialvas. Mas a equipa de Cantanhede, aos 64’, causa um enorme calafrio aos serranos, depois de Renato medir mal o passe atraso para Kiko e Ivo a intrometer-se na jogada para se isolar, no entanto avançado do Marialvas tenta “cavar” um pontapé de penalti e a oportunidade perdeu-se. A equipa serrana tentava consumar a cambalhota no marcador mas seria novamente o Marialvas a dispor de uma boa ocasião quando, aos 75’, na marcação de um canto, Bita surgiu ao segundo poste, beneficiando de um desvio ao primeiro, a rematar à “queima” para uma excelente defesa de Kiko. Mas o Pampilhosense iria mesmo saltar para a frente do marcador, aos 81’ Ronaldo lançou Abel que se desfez, de forma excecional, de um opositor e serviu Dias para carimbar a cambalhota no marcador. Em vantagem a equipa serrana tentou segurar o triunfo, mas antes não se livrou de um enorme calafrio, quando Didi se desmarcou pela esquerda e surgiu sozinho a rematar, Kiko voltou a dizer “presente” e segurou a vantagem da sua equipa. Vantagem essa que foi dilatada logo na jogada imediata com Ronaldo, sobre a linha de meio campo, a fazer de chapéu um golo de bandeira. Um golo que fecha da melhor forma o ano de 2018.

Pampilhosense - Marialvas II Eliminatória Taça A

 

A equipa do Pampilhosense fez por merecer o triunfo, de uma forma em geral foi melhor, mas o Marialvas foi osso duro de roer e, mais uma vez, demonstrou o porque de estar a realizar um bom campeonato. Os serranos seguem em frente na prova e na próxima eliminatória vão receber a Académica SF.

 

Arbitragem regular.

 

Resultados:
Vinha da Rainha 0-2 Condeixa
Vigor 2-0 Tocha
Arganil 4-1 Lousanense
Pampilhosense 3-1 Marialvas
União 0-0 (4-2 gp) Brasfemes
Eirense 2-0 Tourizense
Cova Gala 2-0 Mirandense
Poiares 0-1 Ancã FC
Sepins 2-3 Febres
Académica SF 5-1 Ribeirense
Moinhos 0-1 União 1919
Carapinheirense 5-0 Arouce Praia
Naval 1893 3-1 (ap) Aguias
Sourense 4-0 Esperança
Mocidade FC 1-1 Lagares da Beira
Góis 1-2 Penelense

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:50

Taça 18-19 2 eli.jpg

 

É frente ao Marialvas que o Pampilhosense vai iniciar a caminhada, que se deseja longa, na Taça da AF Coimbra. O encontro tem data marcada para dia 23 de dezembro, mas antes as duas equipas ainda se vão encontrar para o campeonato, também em Pampilhosa da Serra. Também se ficou a conhecer o emparelhamento de jogos até à final e, em caso de vitória frente à equipa de Cantanhede, o Pampilhosense volta a jogar em casa com o vencedor da partida entre Académica SF – Ribeirense. Relembramos que a final da Taça AF Coimbra desta época será realizada no Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra.

 

Os restantes encontros desta II Eliminatória são os seguintes:

Académica SF – Ribeirense

Góis – Penelense

União FC – Brasfemes

Mocidade FC – Lagares da Beira

Naval 1893 – Os Águias

Moinhos – União 1919

Pampilhosense – Os Marialvas

Sepins – Febres

Vinha da Rainha – Condeixa

Cova Gala – Mirandense

Poiares – Ançã FC

Vigor Mocidade – Tocha

Sourense – Esperança

Eirense – Tourizense

Atl. Arganil – Lousanense

Carapinheirense – Arouce Praia

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:35

FINAL DA TAÇA AFC 18/19 SERÁ EM PAMPILHOSA DA SERRA

por ultraserranos4605, em 24.08.18

Estadio Municipal Pamp Serra.jpg

 

Ontem decorreram os sorteios das provas distritais de futebol da AFC. Mas a grande novidade que resultou desta “reunião” entre vários agentes desportivos na sede da AFC, foi a noticia de que a edição da Taça AFC 18/19 não terá como palco da final o habitual Estádio Sérgio Conceição em Taveiro, mas sim no Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra. Isso mesmo, no nosso Estádio! Pela primeira vez Pampilhosa da Serra vai receber um jogo desta importância, e num Estádio que já não recebe jogos há quase um ano. Recordamos que o ultimo desafio em Pampilhosa da Serra aconteceu no dia 8 de outubro do ano passado, e desde dos incêndios do passado dia 15 de outubro o espaço ficou impossibilitado de receber jogos de futebol. A final está agendada para dia 26 de maio, cada equipa finalista receberá 250€ por presença na final e o almoço será oferecido pelo Município de Pampilhosa da Serra.

 

E para o Pampilhosense chagar a uma final, o que por si já seria inédito, e em casa, é sem duvida um aliciante extraordinário para esta prova.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:32

Pampilhsoense 18-19.jpg

 

Ontem foram realizados os sorteios das provas distritais, campeonato e taça, onde o Pampilhosense irá competir nesta temporada. Na primeira jornada do campeonato, que será a 30 de setembro, a equipa serrana irá deslocar-se a Coimbra para defrontar a Académica SF para uma estreia curiosa e marcada por um reencontro, já que do outro lado vai estar uma equipa técnica composta por elementos que já representaram as cores do emblema pampilhosense. Nota também para o desafio da segunda jornada, frente ao Eirense no dia 7 de outubro, que deverá marcar o regresso do Pampilhosense à sua casa um ano depois do ultimo encontro disputado, que foi precisamente a 8 de outubro do ano passado. Relativamente à Taça AFC a grande novidade é o facto da final, que tem data marcada para 26 de maio, ser disputada em Pampilhosa da Serra. Esta será a primeira vez que Pampilhosa da Serra receberá um jogo desta importância. Na primeira eliminatória apenas entraram equipas da 1ª Distrital e, portanto, a equipa serrana não tem adversário conhecido. Fica o resultado dos dois sorteios:

 

Campeonato:

Lagares da Beira

Condeixa

Eirense

Brasfemes

Académica SF

Tocha

Vigor Mocidade

Naval 1893

União FC

Carapinheiense

Marialvas

Tourizense

Ançâ FC

Sourense

Penelense

Pampilhosense

 

jornada 1.jpg

 

jornada 2.jpg

 

jornada 3.jpg

 

jornada 4.jpg

 

jornada 5.jpg

 

jornada6.jpg

 

jornada 7.jpg

 

jornada 8.jpg

 

Taça AFC:

1ª Eliminatória Taça AFC (01-11-18)

Moinhos – Pedrulhense

São Silvestre – Os Águias

Febres – Ac. Gândaras

 

Isentos:

Atl. Arganil, Vinha da Rainha, Poiares, Góis, Mirandense, Lousanense, União 1919, Esperança, Arouce Praia, Cova Gala, Sepins, Mocidade e Ribeirense.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:37

ANÁLISE DA TEMPORADA PAMPILHOSENSE

por ultraserranos4605, em 15.05.18

Caiu o pano sobre a temporada da equipa do Pampilhosense, aquela que foi uma época atípica e difícil, em que a turma serrana foi forçada a andar com a “casa as costas”! Os incêndios de outubro trouxeram uma realidade inédita ao dia-a-dia do clube, que desde então se viu impossibilitado de utilizar o seu campo para a realização de jogos, assim como interferir no planeamento das unidades de treino a aplicar aos atletas. Desde dessa data a equipa teve de realizar quase 30 treinos fora de casa, e todos os jogos (13) na mesma condição. Na condição de visitado a equipa serrana ainda conseguiu utilizar o seu terreno por 3 ocasiões (uma delas para a Taça AFC), mas depois foi necessário recorrer a outros terrenos: Moinhos (5 desafios), Pedrogão Grande (4), Miranda do Corvo (2) e Góis (2). São números que comprovam a difícil realidade que a equipa pampilhosense enfrentou ao longo de quase toda a época, situação atenuada com os resultados desportivos que no final foram os melhores de sempre.

 

Pampilhosense 17-18 min2.JPG

 

No campeonato a equipa do Pampilhosense conseguiu a melhor classificação de sempre, ao conseguir um fantástico quarto lugar com 52 pontos (a melhor pontuação num campeonato com 16 equipas), resultado de 15 vitórias, 7 empates e 8 derrotas, 45 golos marcados e 33 sofridos. Na primeira volta a equipa somou 25 pontos, embora tivesse perdido apenas por duas ocasiões, e estava classificada na sexta posição, a apenas um ponto de distância do terceiro lugar. O arranque da segunda volta não foi o melhor, com a equipa a somar 3 derrotas nos 4 jogos iniciais. Mas depois o Pampilhosense arrancou para uma incrível série (a melhor de sempre nesta divisão) de 7 triunfos consecutivos, que deixou a equipa quase com quarto lugar assegurado e em boa posição para chegar ao terceiro posto, o que acabou por não se verificar na reta final, já que nos últimos dois encontros a equipa não somou nenhum ponto quando precisava de quatro. Nesta segunda fase do campeonato a equipa conquistou 27 pontos, mais 2 que na primeira metade. Também a prestação fora de casa foi equilibrada em termos de pontos conquistados. Apesar da equipa só ter utilizado o seu campo em duas ocasiões para o campeonato, o Pampilhosense conseguiu amealhar 27 pontos na condição de visitado, 8 vitórias, 3 empates e 4 derrotas. Fora de casa o numero foi ligeiramente menor, 25 pontos, resultado de 7 vitórias, 4 empates e também 4 derrotas.

 

No total esta foi uma excelente prestação, que só foi possível porque os 20 atletas que do plantel serrano se transcenderam e transformaram todas as fraquezas e dificuldades em forças, conseguindo dignificar e honrar a camisola verde e preta em todos os campos do distrito que pisaram. O grupo foi o grande obreiro desta prestação.

 

Relativamente á Taça AF Coimbra, na primeira eliminatória foram realizados apenas dois encontros, e calhou em sorte à equipa do Pampilhosense realizar um desses dois desafios, e logo frente ao Condeixa. A equipa do Condeixa tinha iniciado a época bem mais cedo, em virtude da participação na Taça de Portugal. Essa melhor preparação física, aleada a enorme qualidade individual e colética da equipa, acabariam por ser determinantes para afastar o Pampilhosense de um dos grandes objetivos da temporada logo na fase inaugural. O Pampilhosense perdeu por 2-1 em Pampilhosa da Serra.

 

Numero de Jogos:

No total a equipa realizou 31 encontros, 30 para o Campeonato e 1 para a Taça AFC. Só dois atletas participaram em todos os jogos, foram eles Duda e Miguel Barreto.

 

Miguel Barreto 4 min.JPG

O médio Miguel Barreto foi um dos dois atletas a estar em campo nos 31 jogos disputados.

 

31 Jogos – Duda e Miguel Barreto

30 Jogos – Renato e Rafa

29 Jogos – Will, Ricky e Curica

28 Jogos – Simão

26 Jogos – Amândio, Seco

25 Jogos – Cédric

24 Jogos – Dias

21 Jogos – Ronaldo

20 Jogos – Ratana

15 Jogos – Abel e Carapau

7 Jogos – Gravata

6 Jogos – Kiko

5 Jogos – Rola

3 Jogos – Cristiano

 

Minutos Jogados:

Relativamente aos minutos disputados por cada atleta ao longo da temporada, Duda volta a figurar no topo da lista, com 2715m. Não muito longe surge outro defesa, Renato, que sendo um dos elementos mais velhos do plantel somou 2689m.

 

Duda 1 min.JPG

O defesa Duda, com 22 anos, foi a atleta com mais minutos.

 

Duda – 2715m

Renato – 2689m

Rafa – 2612m

Ricky – 2596m

Seco – 2260m

Cédric – 2250m

Curica – 2136m

Amândio – 1951m

Simão – 1930m

Miguel Barreto – 1602m

Will – 1544m

Carapau – 1331m

Ronaldo – 1238m

Abel – 1097m

Ratana – 1007m

Dias – 811m

Kiko – 540m

Rola – 304m

Cristiano – 189m

Gravata – 157m

 

Numero de Golos:

Curica foi o jogador que mais golos marcou com um total de 12 tentos. Uma marca atingida precisamente no ultimo desafio, já que, à partida para a derradeira ronda, Curica e Simão estavam com o mesmo numero de golos: 11.

 

Curica + Simão min.jpg

 O jovem ponta-de-lança, de 21 anos, conseguiu 12 remates certeiros, seguido de muito perto por Simão com 12.

 

12 Golos – Curica

11 Golos – Simão

4 Golos – Dias e Ratana (3C; 1T)

3 Golos – Ricky

2 Golos – Amândio, Duda e Will

1 Golo – Renato, Rola, Seco, Rafa e Miguel Barreto

Autogolos – 1

 

Numero de Assistências:

O jogador mais experiente e com mais idade (34) da equipa, Ricky, foi a atleta que mais vezes assistiu os seus companheiros para golo. Simão também surge bem colocado neste dado estatístico.

 

Ricky 3 min.JPG

Ricky voltou a estar a bom plano nesta temporada e foi quem mais vezes assistiu os seus companheiros para golo.

 

6C – Riky

3C 1T – Simão

3C – Amândio e Ronaldo

2C – Seco, Rafa, Miguel Barreto, Ratana e Dias

1C – Duda, Will e Curica

 

Esta temporada do Pampilhosense só foi possível com a solidariedade e ajuda de muitas instituições, que disponibilizaram as suas instalações para que a equipa realizasse os seus jogos de visitado e os treinos necessários. Obrigado! Foram elas:

Pela cedência das instalações para jogos e treinos:

 - GD Moinhos (local onde foram realizados o maior numero de jogos)

- Câmara Municipal de Pedrogão Grande e Rec. Pedroguense

- Câmara Municipal de Miranda do Corvo e Mirandense

- Câmara Municipal de Góis e ADRC Góis

 

Pela cedência e disponibilidade para a realização de treinos:

- Ac. Gândaras, Vit. Sernache, Oleiros, FC Pampilhosa, Esperança, Figueiró dos Vinhos e Sp. Pombal.

 

Fique agora com alguns dos momentos da época do Pampilhosense em vídeo:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:51

GOLOS DE BOLA PARA EM JOGO DE ADEUS À TAÇA

por ultraserranos4605, em 18.09.17

PAMPILHOSENSE - CONDEIXA

Pampilhosense - Condeixa I Eli Taça AFC 17-09-17

 

I Eliminatória da Taça AF Coimbra

Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra

Assistência: cerca de 150 espectadores

Árbitro: Pedro Tomás

Assistentes: Nuno Guerra e Ricardo Vinagre

Ao intervalo: 1-1

 

Pampilhosense:

Cédric. Seco, Renato, Duda, Amândio, Ronaldo (Curica 71’), Will, Rafa (Miguel Barreto 67’), Simão (Gravata 82’), Ratana e Ricky.

Suplentes não utilizados: Kiko, Cristiano, Rola e Abel

Treinador: Carlos Alegre

 

Condeixa:

Manu, Rui Daniel, Rafa, Crachat, Dani Alves (Batista 77’), Sena (Cooper), Leo, André (China 68’), Fábio, Hugo Amado e Tavares.

Suplentes não utilizados: Joni, Loureiro, Mbarga e Diogo Azevedo.

Treinador: Vítor Gouveia

 

Ação disciplinar:

Amarelos: Amândio 27’, Renato 68’, Will 75’ Duda 76’ e Seco 80’ (Pampilhosense); Tavares 21’, Rafa 32’ e China 84’ (Condeixa),

 

Golos: Ratana 42’ (Pampilhosense); Fábio 24’ e Ronaldo (pb) 61’ (Condeixa).

 

Pampilhosense - Condeixa I Eli Taça AFC 17-09-17

 

Para a primeira eliminatória da Taça AFC, e um dos únicos dois jogos a realizar nesta fase, quis a sorte que Pampilhosense e Condeixa se encontrassem para abrir a temporada de futebol distrital em Coimbra. Esta é uma prova onde a equipa serrana tem sempre vontade em chegar longe, mas do outro lado estava um Condeixa que aposta forte nesta temporada e é candidato assumido para vencer tudo.

 

Pampilhosense - Condeixa I Eli Taça AFC 17-09-17

 

Foi um jogo bastante táctico, com escassíssimas ocasiões de golo. Perante um dos candidatos a ganhar tudo nesta temporada, o Pampilhosense até entrou bem, sendo uma equipa que não demostrou medo do adversário, mas respeito. O mesmo aconteceu com o Condeixa que entrou cauteloso, respeitando um adversário que na temporada anterior lhe causou grandes amargos de boca. E se em lances de bola corrida o perigo não rondava as duas balizas, foi de bola parada, na sequência de um pontapé de canto, que o Condeixa se vai adiantar no marcador, à passagem do minuto 24’, com Fábio a antecipar-se a todos para cabecear com sucesso ao primeiro poste. A equipa da casa tentou responder, mas só depois dos 35’ consegue criar alguns lances mais complicados para a baliza de Manu. Resultado disso, aos 42’, o Pampilhosense vai chegar à igualdade também na marcação de um canto, com Ratana a efectuar um brilhante pontapé de bicicleta sem hipótese para o guardião Manu. Ao intervalo o empate era um resultado justo.

 

Pampilhosense - Condeixa I Eli Taça AFC 17-09-17

 

No segundo tempo o jogo não foi muito diferente daquilo que se assistiu no primeiro. As oportunidades de golo praticamente não existiram e foi através de novo lance de bola parada que o placar voltou a funcionar. Aos 61’ Rafa cobra um livre lateral de forma tensa e Ronaldo, perante a pressão do adversário, vai desviar para a própria baliza, colocando o Condeixa em vantagem no marcador. A turma pampilhosense tentou responder, mas até final fê-lo mais com o coração do que com a cabeça, acusando menor frescura física perante um Condeixa que começou a sua preparação bem mais cedo. Não aconteceram mais golos, nem ocasiões para tal, o Pampilhosense não encontrou argumentos para alterar o rumo dos acontecimentos, enquanto o Condeixa geriu a vantagem e controlou até final.

 

Pampilhosense - Condeixa I Eli Taça AFC 17-09-17

 

Foi um jogo sem oportunidades de golo em lances de bola corrida. E mesmo de bola parada as ocasiões que aconteceram resultaram nos três golos. Partida bastante equilibrada, principalmente no primeiro tempo. No segundo, a maior frescura física da turma de Condeixa permitiu gerir e controlar o encontro.

 

O trio de arbitragem realizou um trabalho regular. Embora no lance que resulta o segundo golo do Condeixa pareça não ter existido falta e depois um empurrão a Ronaldo que introduziu a bola na própria baliza. Mas lances de difícil analise.

 

Resultados:

Pampilhosense 1-2 Condeixa

S. Silvestre 0-3 Esperança

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:28

ANÁLISE DA TEMPORADA PAMPILHOSENSE

por ultraserranos4605, em 24.05.17

E terminou mais uma época desportivo do Pampilhosense. À partida para a temporada a equipa serrana traçou como objectivos terminar o campeonato nos cinco primeiros da tabela, e chegar à final da Taça AF Coimbra. O primeiro conseguiu atingir sobre a linha da meta, já o segundo objectivo ficou as portas da desejada final.

 

Pampilhosense 16-17 foto oficial trat min.jpg

 

A equipa serrana começou bem o campeonato ao não perder nas primeiras cinco jornadas. Aliás, a prestação na primeira metade do campeonato foi bastante positiva, com a equipa do Pampilhosense a somar 26 pontos, registando apenas 3 derrotas. Para isso muito contribuiu a organização defensiva serrana que, ao ser batida por apenas 9 vezes, a segunda melhor, deu o mote para os bons resultados alcançados nesta primeira fase. Mas o arranque da segunda volta não correu da forma desejada, o Pampilhosense atravessou um momento de seis jogos consecutivos sem conseguir vencer para o campeonato, o que podia atrasar o clube de forma irremediável na tabela classificativa. Mas a recuperação no último terço do campeonato, fase em que os serranos somaram seis triunfos alguns contra adversários “directos”, fez a equipa subir e, sobre a linha de meta, terminar o campeonato no quinto posto. Na segunda volta o Pampilhosense conseguiu amealhar 22 pontos, menos quatro que na primeira volta, mantendo também a mesma consistência defensiva, à excepção dos últimos encontros em que sofreu 9 golos em três jogos (Oliv. Hospital, Vinha Rainha e Poiares). Um número significativo se tiver em conta que nos restantes jogos sofreu apenas 19. Faltou maior acerto no ataque, em que os 39 golos marcados foram curtos para conseguir maior número de pontos e triunfos. Já a prestação em casa foi também relevante, se tivermos em conta que em épocas anteriores roçou mesmo o horrível. O Pampilhosense conseguiu amealhar 28 pontos em casa, fruto de 8 triunfos e 4 empates. Já fora de casa, a campanha também foi satisfatória com 20 pontos alcançados, resultado de 5 vitórias e outros tantos empates.

 

Quanto à Taça AF Coimbra o Pampilhosense o Pampilhosense voltou a ficar às portas de alcançar a desejada final. A equipa serrana eliminou Ac. Gândaras, Eirense, Mirandense e caiu, nas meias-finais, perante o Oliv. Hospital, num jogo disputado em Pampilhosa da Serra em que o Pampilhosense não conseguiu contrariar o seu adversário, voltando a ficar por uma meia-final.

 

Número de Jogos:

O Pampilhosense realizou 34 jogos em toda a temporada, 30 para o campeonato e 4 para a Taça AFC. E apenas dois atletas participaram em todos os jogos, Ronaldo e Ricky.

 

Ronaldo 2.jpg

Ronaldo começou mais tarde os trabalhos de pré-época, mas mesmo assim ainda a tempo de participar em todos os jogos da equipa.

 

34 Jogos – Ronaldo e Ricky

33 Jogos – Flávio Salgado

32 Jogos – Miguel Barreto

31 Jogos – Carapau e Normando

30 Jogos – Renato, Ratana e Will

26 Jogos – Galego

20 Jogos – Gravata

19 Jogos – Rabeca

16 Jogos – Cédric

14 Jogos – Rui Matos, Vlad e Rola

13 Jogos – Babá

11 Jogos – Cristiano

9 Jogos – Pedro Mano, João Pedro, Seiça

2 Jogos – Magalhães

 

Minutos Jogados:

Não houve totalista relativamente ao número de minutos, mas Ricky foi o atleta com mais utilização ao longo de toda a temporada, somando 2992’ de num total de 3060’. De perto ficou também Flávio Salgado com 2979’.

 

Ricky 2.jpg

 Ricky continua a demostrar que a idade ainda não lhe pesa.

 

Ricky – 2992m

Flávio Salgado – 2979m

Carapau – 2784m

Ronaldo – 2719m

Renato – 2667m

Will – 2567m

Miguel Barreto – 2137m

Galego – 2048m

Normando – 1893m

Ratana – 1771m

Cédric – 1440m

Gravata – 1432m

Rabeca – 1216m

Vlad – 836m

João Pedro – 810m

Pedro Mano – 810m

Rui Matos – 682m

Rola – 637m

Cristiano – 530m

Babá – 396m

Seiça – 310m

Magalhães – 13m

 

Número de Golos:

Quanto aos golos, Ricky volta a estar em destaque ao apontar 18 golos no total, 13 para o campeonato e 5 para a taça. Um pouco atrás surgem Ratana com 11 e Normando com 10, no total das duas competições.

 

foto conjunta 16-17 2.jpg

 Também neste dado Ricky esteve no topo, mas Ratana e Normando também estiveram em plano de destaque na equipa.

 

13C+5T – Ricky

9C+2T – Ratana

5C+5C – Normando

3C – Miguel Barreto

2C – Babá e Vlad

1C – Renato, Rabeca, Flávio Salgado, Rui Matos e Ronaldo

1 –AG

 

Número de Assistências:

Flávio Salgado foi o rei das assistências para golo com um total de 8. De perto aparece Ricky e também Ronaldo.

 

Flávio Salgado 2.jpg

Flávio Salgado foi quem mais assistiu para golo ao longo da época

 

4C+4T – Flávio Salgado

6C – Ricky

5C – Ronaldo

4C – Will

2C – Gravata e Miguel Barreto

1C+1T – Ratana e Normando

1C – Rabeca, Galego e Vlad

 

Fique agora com alguns dos melhores momentos da época do Pampilhosense em video:

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:33

SONHO DESMORONOU EM 15 MINUTOS FATAIS

por ultraserranos4605, em 15.04.17

PAMPILHOSENSE - OLIV. HOSPITAL

Pampilhosense - Oliv. Hospital meias finais taça

 

Meia-Final da Taça AF Coimbra

Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra

Assistência: cerca de 400 espectadores

Árbitro: Vítor Mendonça

Assistentes: Renato Carvalho e Eduardo Alves

Ao intervalo: 0-3

 

Pampilhosense:

Cédric, Galego (Rabeca 68’), Renato, Ronaldo, Flávio Salgado, Matos (Vlad 20’), Will, Miguel Barreto, Normando (Gravata 20’), Ratana e Ricky.

Suplentes não utilizados: Pedro Mano, Cristiano, Magalhães e Bába.

Treinador: Carlos Alegre

 

Oliv. Hospital:

Filipe Fajarni, Romário (Tiago Dias 68’), Daniel Gonçalves, Pedro André (Joel Figueiredo 61’), Diogo Barreto, Patrick (David 84’), Ailton, Rui Pereira, Ricardo Delgado, Glauber e Luís Martins.

Suplentes não utilizados: Pedro Gonçalves, João Fialho, João Costa e Luã.

Treinador: Cláudio Garcia

 

Ação Disciplinar:

Amarelos: Ricky 28’ e Gravata 20’ (Pampilhosense); Filipe Fajarni 13’, Romário 38’, Luís Martins 48’ e Diogo Barreto 58’ (Oliv. Hospital).

 

Golos: Ratana 75’ gp (Pampilhosense); Patrick 4’ e 15’, Ricardo Delgado 5’ e 84’ (Oliv. Hospital).

 

Pampilhosense - Oliv. Hospital meias finais taça

 

Pampilhosense e Oliv. Hospital discutiam um lugar na final da Taça, em tarde primaveril perante muito publico a assistir. As duas equipas já se tinham defrontado no domingo passado em jogo a contar para o campeonato, onde os de Oliv. Hospital venceram por 4-1. Agora os serranos queriam surpreender e, perante os seus adeptos, chegar à desejada final na terceira tentativa das últimas quatro épocas.

 

Antes do início do jogo foi respeitado um minuto de silêncio, como forma de homenagem a um dos adeptos mais carismáticos deste clube, também pai do treinador Carlos Alegre, que deixou o mundo dos vivos no decorrer desta semana.

 

Pampilhosense - Oliv. Hospital meias finais taça

 

E a equipa de Oliv. Hospital, tal como já tinha acontecido no passado domingo, entrou muito forte e aproveitou, e de que forma, os vários erros defensivos que o Pampilhosense cometeu e que nem tem acontecido ao longo da época. Aos 15’ já o Oliv. Hospital vencia por 3-0, resultantes de jogadas muito idênticas, a explorar a velocidade da linha avançado. O primeiro surgiu logo aos 4’, com Rui Pereira a desmarcar Patrick que ganhou em velocidade e bateu o guardião Cédric. No minuto seguinte novo golo para os forasteiros, Rui Pereira correu em grande velocidade pela esquerda e ofereceu o golo a Ricardo Delgado que só teve que encostar. O Pampilhosense ainda esboçou uma tímida reacção, através de um cabeceamento de Ratana no desvio a um livre, mas foi o Oliv. Hospital a voltar a festejar. Aos 15’, em jogada idêntica ao segundo golo, Rui Pereira fugiu em velocidade pela esquerda e cruzou para a pequena área onde surgiu Patrick a fazer um golo fácil. Aos 15’ Os forasteiros já tinham construído uma vantagem confortável e o Pampilhosense tardava em responder. Só a partir dos 20’ se assistiu a uma resposta por parte dos da casa, que podiam ter reduzido antes do intervalo. Aos 22’ Galego cruzou da direita e Ratana surgiu solto ao segundo poste a cabecear com muito perigo. Aos 39’ foi a vez de Ronaldo que de livre directo rematou para uma excelente intervenção do guardião Filipe Fajarni. Na sequência do pontapé de canto, Ronaldo rematou directo mas o guardião visitante voltou a negar o golo. Ao cair do pano do primeiro tempo, aos 45’, Filipe Fajarno volta a estar em evidência ao negar o golo a Gravata que atirou directo um livre lateral.

 

Pampilhosense - Oliv. Hospital meias finais taça

 

Na segunda metade o Pampilhosense até entrou bem, Flávio Salgado cruzou da esquerda e Galego rematou para uma defesa difícil de Filipe Fajarni. O Pampilhosense queria reduzir para entrar na discussão do jogo e, aos 61’, voltou a estar perto, depois de Ratana servir Ricky e este a tirar um adversário do caminho e rematar as malhas laterais da baliza. Depois Romário, aos 68’, tem um choque com o seu guarda-redes e fica muito mal tratado, obrigando o jogo a uma paragem de 23’, em que foi necessário chamar uma ambulância para socorrer o jogador de Oliv. Hospital. Esta foi uma paragem que espevitou o Pampilhosense porque, pouco depois do reatamento, aos 74’, Vlad é derrubado em falta no interior da grande área por Tiago Dias e assinalado pontapé de penalti que Ratana não desperdiçou. Os da casa arriscaram tudo no ataque ainda na esperança de forçar outro resultado, e com isso o Oliv. Hospital aproveitou para voltar a importunar Cédric que, aos 80’, tem uma boa defesa a remate do meio da rua de Diogo Barreto. Até que, aos 84’, numa rápida jogada de ataque David cruzou atrasado e Ricardo Delgado rematou para o 4-1 final. Até final a equipa da casa não deitou a toalha ao chão, mais do que com o coração do que com a cabeça, através de um futebol mais directo, bem tentou reduzir a desvantagem, mas de forma ineficaz.

 

Pampilhosense - Oliv. Hospital meias finais taça

 

Entrou muito mal no encontro a equipa pampilhosense. E o Oliv. Hospital aproveitou a apatia e nervosismo contrário para, ao entrar muito forte, resolver a questão o mais cedo possível. E foi isso que aconteceu ao marcar por três ocasiões no primeiro quarto de hora. A equipa serrana respondeu depois disso, criou algumas situações para marcar, mas o golo que daria esperanças tardou em chegar, também por culpa de um guardião oliveirense inspirado. Na segunda metade os da casa arriscaram tudo, ainda conseguiram reduzir, mas já tarde para conseguir outro resultado. O Oliv. Hospital venceu com inteira justiça, foi a melhor equipa, mas talvez por números demasiado exagerados.

 

Pampilhosense - Oliv. Hospital meias finais taça

 

Excelente arbitragem da equipa liderada por Vítor Mendonça num jogo nem sempre fácil.

 

Pampilhosense - Oliv. Hospital meias finais taça

 

Como nota final, a equipa do Pampilhosense agradece o apoio do muito público que se deslocou ao Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra e que, ao longo de todo o desafio, se manifestou intensamente no apoio à equipa. Infelizmente não foi possível retribuir com uma vitória como era merecido.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:17

PAMPILHOSENSE - OLIV. HOSPITAL EM DOSE DUPLA

por ultraserranos4605, em 05.04.17

Pampilhosense - Oliv. Hospital.jpg

 

Os próximos jogos do Pampilhosense prometem emoções fortes com um duplo embate com a equipa do Oliv. Hospital. O primeiro encontro acontecerá já no próximo domingo, a contar para o campeonato. A equipa serrana ocupa a sexta posição na tabela, em igualdade pontual com o quinto, e tenta chagar ao top 5 do campeonato. Mas este primeiro desafio será mais um aperitivo para o prato principal que se servirá dia 14 (sexta-feira Santa). Nesse dia o Pampilhosense volta a defrontar o Oliv. Hospital, em jogo a contar para as meias-finais da Taça. Uma partida que estava agendada para dia 25 de abril, mas que foi antecipada para o final da próxima semana. É a terceira vez que, nos últimos quatro anos, a equipa serrana alcança esta fase da prova, mas ainda não conseguiu ultrapassar este degrau e conseguir a desejada presença na final. Diz-se que “à terceira é de vez”! Que assim seja! Desta vez a jogar em sua casa, um dado novo que nas duas anteriores ocasiões não aconteceu.

 

09/04 (26ª Jornada Divisão Honra) – 16H

Pampilhosense – Oliv. Hospital

 

14/04 (Meias-Finais Taça AFC) – 15H

Pampilhosense – Oliv. Hospital

Febres – Tocha

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:38


. ............ . . .

.


LIGAÇÕES - PLANTEL 18/19 E VIDEOS

.

.