Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mostra a Tua Alma Serrana!


COMENTÁRIO E ANÁLISE DA ÉPOCA EM NÚMEROS

por ultraserranos4605, em 09.05.13

 

 

Terminada que esta a temporada é hora de fazer um comentário em relação ao que aconteceu ao longo da época. Foi um Pampilhosense renovado o que iniciou a participação nesta divisão de honra. E em ano de alterações na 3ª divisão nacional, o que poderia indicar a queda de várias equipas para o distrital, o objetivo primeiro dos serranos passava por garantir o mais cedo possível a manutenção, e só depois atingir a melhor classificação possível.

 

 O bom arranque no campeonato deixou boas indicações, com a equipa bem classificada a meio da primeira volta. O cenário ao final da primeira volta não era muito diferente, a equipa estava classificada no sétimo posto mas apenas a quatro pontos do quarto lugar. E melhor poderia estar, não fossem alguns pontos “perdidos” em casa nos instantes finais dos desafios (casos de Académica SF e Febres), ou com equipas em que a “obrigação” era de vencer (exemplos de Moinhos e Vinha da Rainha). Começava aqui a ser notória alguma inoperância da equipa sempre que jogava na condição de visitado, o que foi ainda mais evidente ao longo da segunda volta.

 

E foi a falta de pontos conquistados em casa que levou a equipa para um cenário negro no decorrer da segunda metade do campeonato. Em determinado momento da época pairou no ar a possibilidade de descida de divisão, isto depois de uma série de quatro derrotas consecutivas. Mas duas vitórias fora (Febres e Lagares da Beira) confirmaram a manutenção e tranquilizaram as hostes serranas. Foram, aliás, os resultados conseguidos fora de casa que “salvaram” a equipa, no total 21 pontos, contra apenas os 10 alcançados no Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra, o que fez do Pampilhosense, uma das piores equipas do campeonato em matéria de pontos amealhados em casa. Dificuldades encontradas em casa difíceis de compreender. Às vezes por falta de sorte mas, na maioria dos casos, a equipa não foi capaz de explanar o seu jogo com a mesma clareza e fluidez como o fazia fora de casa. O Pampilhosense na segunda volta apenas somou um ponto em Pampilhosa da Serra, não conseguindo vencer o lanterna vermelha do campeonato, e perdendo, inclusive, com Atl. Arganil e Touring (isto apenas para citar as equipas que se classificaram atrás do GDP).

 

 O conjunto serrano foi uma equipa que, jogando na expetativa, se sentia muito melhor, obtendo dessa forma resultados mais positivos. Já frente a adversários em que sentia a obrigação de assumir as despesas do jogo, o Pampilhosense sofreu sempre muitas dificuldades. Prova disso é o facto de, perante os dois últimos da classificação, entre doze pontos possíveis, o Pampilhosense apenas somou quatro (quatro empates).

 

Tivesse o Pampilhosense, em casa, realizado uma campanha ao nível daquilo que conseguiu fora, teria terminado o campeonato tranquilamente nos cinco primeiros lugares ou, até, lutar pelo pódio. Assim, a equipa ficou-se pelo nono posto final, o que significa a quarta melhor classificação de sempre do Pampilhosense.

 

Já na Taça da AF Coimbra a equipa serrana caiu na segunda eliminatória nas grandes penalidades, em casa do Eirense. Isto num jogo em que esteve em vantagem, desperdiçou várias oportunidades de golo, ficou depois reduzido a menos uma unidade, permitindo a reação e vitória do conjunto de Eiras nas grandes penalidades.

 

Número de jogos:

Demonstramos de seguida alguns dos dados estatísticos da temporada, baseados nas 26 partidas realizadas para o campeonato e uma para a taça afc. Começamos pelo número de jogos em que cada jogador participou. Sendo que, neste campo, apenas dois atletas participaram em todas as partidas oficiais do Pampilhosense: David Gonçalves e Ricky.

 

Ricky foi um dos dois atletas que participou em todos os jogos da sua equipa

 

27J – Ricky e David Gonçalves

26 J– Reinaldo

25J – Carapau, André Cecim e Flávio Salgado

24J – Samuel Almeida

23J – Rabeca

21J – Bruno Santos e Cristiano

18J – Marco Rosa

17J – Marcelo

16J – Marco Alegre

15J – Tiburcio

13J – Nuno Viseu

11J – Deco

10J – Alex Amado e David Simões

4J – Pedro Barata

3J – Isidro

2J – Manu e Nuno Batista

 

Número de minutos:

Relativamente ao número de minutos de utilização por cada jogador, David Gonçalves foi o atleta mais utilizado, seguido de perto por Ricky que, curiosamente, realizou mais jogos completos (25 no total) que o seu colega de equipa.

 

David Gonçalves foi o atleta com mais minutos em campo


2439m – David Gonçalves

2432m – Ricky

2211m – Carapau

2179m – André Cecim

2142m – Flávio Salgado

2094m – Reinaldo

2017m – Samuel Almeida

1831m – Bruno Santos

1754m – Cristiano

1544m – Rabeca

1342m – Tiburcio

1186m – Marco Rosa

1120m – Nuno Viseu

853m – Alex Amado

801m – Marcelo

401m – Marco Alegre

270m – Deco

255m – David Simões

94m – Pedro Barata

93m – Manu

36m – Nuno Batista

14m – Isidro

 

Número de golos:

Quanto aos artilheiros, Reinaldo apontou no total 14 tentos (13 foram para o campeonato) e foi o melhor marcador da equipa (também um dos melhores do campeonato), seguido por Ricky com 9 golos. Nota para David Simões que, com 4 golos, foi o goleador de final de época, com uma média melhor que Ronaldo ou Messi! A cada 63m de utilização o avançado serrano fez um golo!

 

Reinaldo foi o melhor marcador da equipa e um dos melhores do campeonato


13C 1T – Reinaldo

9C – Ricky

4C – David Simões

2C – David Gonçalves e Marcelo

1C – Marco Rosa, Bruno Santos e Marco Alegre

1C – autogolo

 

Número de assistências:

Em termos de assistências, Reinaldo volta a estar em destaque já que assistiu por 9 ocasiões companheiros para golo. Também neste dado estatístico Ricky surge logo de imediato, ao ter realizado 6 passes para golo, embora aqui acompanhado por Flávio Salgado com o mesmo número de assistências.

 

Flávio Salgado esteve entre os que mais assistências fez para golo, só superado por Reinaldo


9C – Reinaldo

6C – Ricky

5C 1T – Flávio Salgado

2C – David Gonçalves

1C – Samuel Almeida, Alex Amado, André Cecim, Bruno Santos e David Simões

 

Nota: nestas estatísticas estão englobados os jogos do campeonato (26) e taça (1).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:09

OS MELHORES MOMENTOS DO ULTIMO JOGO DO CAMPEONATO

por ultraserranos4605, em 08.05.13
Video com os melhores momentos da partida referente a ultima jornada do campeonato entre Pampilhosense e Marialvas. O resultado final, já se sabe, saldou-se numa igualdade a duas bolas. 


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:53

DESPEDIDA COM O MESMO (DES)ENCANTO

por ultraserranos4605, em 06.05.13

PAMPILHOSENSE 2-2 OS MARIALVAS

 

26ª Jornada da Divisão de Honra AF Coimbra

Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra

Assistência: Cerca de 250 espetadores

Árbitro: Telmo Galvão

Assistentes: Gonçalo Teixeira e Tiago Fernandes

Ao intervalo: 2-0

 

Pampilhosense:

Nuno Viseu, Bruno Santos, Carapau, Cristiano, Samuel Almeida, Marco Rosa, André Cecim, David Gonçalves (Isidro 83m), Ricky, Reinaldo (Flávio Salgado 53m) e David Simões (Nuno Batista 64m).

Suplentes não utilizados: Tiburcio, Rabeca e Marco Alegre.

Treinador: Carlos Alegre

Ação disciplinar: amarelos: Isidro (85m)

 

Os Marialvas:

Dias, Justo, Hugo, Paulo Roberto, Ruben, Luís Rodrigues (Damien 45m), Gameiro, Steven, Luís Costa (Fábio 45m), Filipe e Arlindo (André Filipe 45m).

Treinador: Pedro Costa

Disciplina: amarelos: Luís Rodrigues (36m).

 

 

O Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra estava bem composto para receber a ultima jornada do campeonato da Divisão de Honra com o Pampilhosense a receber o Marialvas. A equipa serrana tencionava despedir-se dos seus adeptos com um triunfo, o que apenas conseguiu por duas ocasiões durante a temporada, havendo ainda a possibilidade de subir uma posição na tabela. Já a equipa que viajou de Cantanhede, lanterna vermelha do campeonato e com o destino traçado, vinha tentar somar pontos o que, durante a época como visitante, foi coisa que ainda não tinha conseguido.

 

 

Não perdeu tempo o Pampilhosense para criar perigo (aos 20 segundos) junto da baliza de Dias, Ricky isolado atirou por cima. Na jogada imediata Reinado e David Simões podiam ter inaugurado também o marcador, mas valeu a defesa visitante a salvar sobre a linha de golo. O Pampilhosense continuava a desperdiçar ocasiões (nos primeiros 5m esbanjou 3) e desta feita voltou a ser Ricky que, uma vez mais sozinho, rematou novamente por cima. A equipa do Marialvas praticamente via jogar o Pampilhosense, sem esboçar qualquer tipo de reação. E aos 18m os da casa voltam a estar perto de marcar, Samuel Almeida de livre atirou a trave. O golo tardava em surgir e Ricky, depois de servido por David Gonçalves, voltou a desperdiçar, sendo que, desta feita, foi Dias a negar a tentativa de chapéu do avançado pampilhosense. Mas o cântaro tantas vezes vai a fonte que um dia acaba por partir, assim aconteceu aos 26m, na sequência de um pontapé de canto com Marco Rosa a cabecear para o fundo da baliza. A vantagem da equipa serrana há muito se justificava, sem que o Marialvas tivesse, ao longo deste primeiro tempo, ter feito algo para importunar a baliza de Nuno Viseu. A turma da casa manteve a mesma toada e, aos 42m, David Simões, a entrada da área, rematou e bateu o guardião Dias, com a bola ainda a sofrer um desvio num defesa visitante. O intervalo chegou e a vantagem de dois golos era escassa tal foi o caudal ofensivo do Pampilhosense e as oportunidades criadas.

 

 

E quando se podia pensar que o Pampilhosense podia, na segunda parte, arrancar para uma vitória tranquila e dilatada, tudo não passou de um engano. O primeiro sinal de perigo no segundo tempo ainda pertenceu ao Pampilhosense, através de Bruno Santos que quase enganou o guarda-redes visitante num cruzamento largo onde só o poste evitou o golo (49m). A partir daqui a equipa serrana não mais se encontrou, errando muitos passes e faltando maior objetividade no último terço do terreno. O Marialvas aproveitou, aos poucos foi acreditando, subiu no terreno e aos 61m reduziu a desvantagem. No único pontapé de canto que dispôs ao longo de toda a partida (contra 11 dos serranos) os de Cantanhede marcaram através de Hugo a emendar um cabeceamento de Paulo Roberto a trave da baliza de Nuno Viseu. Este tento animou ainda mais as hostes visitantes que pouco depois, aos 69m, esteve perto da igualdade com Fábio, lançado em profundidade, a atirar ao lada depois de ultrapassar o guardião Nuno Viseu. O Marialvas não desistiu e, aos 84m, uma infração no interior da grande área pampilhosense vai originar uma grande penalidade que Fábio não desperdiçou para empatar a contenda. O desafio acabou por chegar ao final sem mais incidências e com uma igualdade a duas bolas.

 


Foi um desafio em que o Pampilhosense teve tudo para conseguir os três pontos de forma tranquila e categórica. Depois de uma primeira parte em que marcou dois golos, e outros tantos podia ter marcado não fosse alguma falta de pontaria, no segundo tempo o Pampilhosense não conseguiu segurar a vitória e permitiu que o Marialvas cresce-se no encontro. A equipa serrana termina assim a época com novo desaire caseiro, onde conseguiu apenas amealhar dez pontos, contrapondo com os vinte e um pontos conquistados fora de Pampilhosa da Serra. A nona posição é a classificação final da equipa.

 

O trio de arbitragem liderado por Telmo Galvão teve um trabalho positivo.

 

Resultados:

União FC 0-1 Académica/SF

Pacheco

 

Vigor Mocidade 4-1 Vinha da Rainha

; Gato (VR)

 

Pampilhosense 2-2 Marialvas

Marco Rosa e David Simões (GDP); Hugo e Fábio (Mar.)

 

Febres 3-2 Lagares Beira

 

 

Ançã FC 1-1 Carapinheirense

; Faria (Cdc)

 

Moinhos 1-1 Touring

Marco Correia (Moi); Custodio (Tou)

 

Atl. Arganil 0-1 Eirense

Fábio Henriques

 

Classificação final:


Nota final para o facto das três equipas de formação do Pampilhosense terem passado o dia com a equipa sénior, permitindo aos mais novos sentir o clube de uma forma diferente, culminado assim, de uma forma de inteira comunhão entre todos os escalões do clube, a temporada de 2012/2013.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:01

"CANTERA" CONFIRMA FUTURO NA HONRA NO PRÓXIMO ANO

por ultraserranos4605, em 29.04.13

LAGARES DA BEIRA - PAMPILHOSENSE

 

25ª Jornada da Divisão de Honra AF Coimbra

Estádio: Complexo Desportivo Lagares da Beira

Assistência: Cerca de 100 espetadores

Árbitro: Pedro Tomás

Assistentes: João Machado e Joana Rodrigues

Ao intervalo: 0-1

 

Pampilhosense:

Tiburcio, Bruno Santos, Carapau, Cristiano, Samuel Almeida, Marco Rosa, André Cecim, David Gonçalves (Isidro 89m), Ricky, Reinaldo (Flávio Salgado 57m) e David Simões (Marcelo 64m).

Suplentes não utilizados: Nuno Viseu, Manu, Nuno Batista e Deco.

Treinador: Carlos Alegre

Ação disciplinar: amarelo: David Gonçalves 23m, Bruno Santos 60m, André Cecim 77m e Flávio Salgado 94m; vermelho por acumulação: Marcelo 83m e 86m.

 

Lagares da Beira:

Daniel, Mário, João Campos, Toni, Cheira (Alex 45m), Ratana, Filipe (Tó 45m), João Brito, Fumaça (Ricardo 68m), Marco Paiva e Luís Paiva.

Suplentes não utilizados: Sérgio, João Mário, Leonel e Quintino.

Treinador: Bruno Ferreira

Ação disciplinar: amarelo: Cheira 35m; vermelho por acumulação: Toni 27m, 81m.

 

Golos: David Simões 7m e Marcelo 82m.

 

 

Depois de uma pesada derrota na jornada anterior frente ao líder, o Pampilhosense tinha uma deslocação a Lagares da Beira onde iria tentar dar seguimento aos bons resultados conseguidos na condição de visitante e, assim, carimbar em definitivo a manutenção num campo onde nunca conseguiu vencer na sua história. Já o conjunto de Lagares da Beira, que desde da derrota com o Pampilhosense na primeira volta do campeonato apenas voltou a perder em outra ocasião, tinha nesta partida uma motivação extra, já que iria estrear o piso sintético na sua casa que esta época ainda não tinha utilizado.

 


O conjunto de Pampilhosa da Serra entrou desinibido no encontro e aos 7m adiantou-se no marcador. Reinado atirou cruzado e David Simões, à entrada da pequena área, rematou para o fundo da baliza de Daniel. A equipa da casa respondeu de imediato, criando duas situações nos dois minutos seguintes em que podia ter reposto a igualdade. Na primeira valeu Samuel Almeida sobre a linha de golo a evitar que o remate do avançado de Lagares da Beira tivesse sucesso. Na segunda ocasião foi Tiburcio que, com a defesa da tarde, negou o golo a Toni num remate de fora da área. Na tentativa de chegar a igualdade o conjunto da casa ia dando trabalho a defensiva pampilhosense, principalmente através das suas alas, daí vinha o maior perigo e a melhor arma do Lagares da Beira. À passagem da meia hora o Pampilhosense sacode um pouco o ímpeto atacante do conjunto da casa ao criar também uma excelente ocasião para marcar. Os protagonistas foram os mesmos do lance do golo, Reinaldo serviu David Simões e este, solto de marcação, com a baliza escancarada emendou ao lado. Já sobre o apito final do primeiro tempo o Lagares da Beira volta a criar perigo. Toni, quase sempre ele, foge a defensiva serrana e isolado perante Tiburcio não consegue desfeitear o guardião pampilhosense que, com mais uma intervenção, mantém a sua equipa na frente do marcador.

 


No segundo tempo a equipa do Pampilhosense foi ainda mais organizada, não permitindo que o Lagares da Beira criasse qualquer situação para marcar. A equipa da casa arriscou tudo no ataque, dispôs de maior tempo te posse de bola, mas deu de “caras” com um bloco muito compacto que não permitiu espaços e que em contra-ataque mostrava argumentos para sentenciar a partida. O que podia ter acontecido logo aos 52m numa excelente jogada coletiva com Ricky a isolar Reinaldo, este, na direita, rematou fortíssimo por cima do travessão. O Pampilhosense continuou a apostar em rápidas transições para o ataque, enquanto o Lagares da Beira tentava encontrar uma forma de furar a organização serrana, sem sucesso. Até que, aos 81m, Ricky vai para se escapar para a baliza mas é derrubado por Toni, o jogador do Lagares da Beira recebe a segunda cartolina amarela e é expulso. Na cobrança da infração Flávio Salgado rematou para defesa incompleta de Daniel mas Marcelo, rápido e oportuno, surge para selar o 2-0 e a vitória da equipa do Pampilhosense. Até final destaque apenas para a expulsão de Macelo, aos 86m, depois de um contacto físico existente na grande área da casa em que o árbitro da partida, mal, entendeu que o jogador visitante tinha simulado grande penalidade.

 


Numa boa partida de futebol o Pampilhosense soube aproveitar as oportunidades que dispôs, foi uma equipa organizada para suster os ataques do Lagares da Beira (que no segundo tempo não conseguiu criar nenhuma situação clara de golo) e arrecadou mais uma vitória fora de portas. Um triunfo que garante desde já a manutenção com 21 pontos conquistados como visitante. Nesta condição o Pampilhosense é das equipas com maior número de pontos conquistados fora de casa, deixando a ideia de que com resultados semelhantes no seu reduto a equipa serrana estaria entre os cinco primeiros da tabela.

 

Boa arbitragem que apenas merece um reparo, a expulsão de Marcelo. Numa disputa de bola na grande área do Lagares da Beira o defesa da casa chegou primeiro a bola, depois aconteceu o contato entre os dois jogadores em que o árbitro da partida, de forma estranha, entendeu que Marcelo simulou grande penalidade mostrando a segunda cartolina amarela.

 

Nota final para felicitar o Carapinheirense que, com a vitória por 3-1 frente ao Febres, festejou o seu primeiro título de campeão da Divisão de Honra. Boa sorte para a equipa de Montemor-o-Velho nos nacionais do próximo ano.

 

Resultados:

Touring 1-1 Ançã FC

Marquito(Tou); Valter Silva (AFC)

 

Eirense 1-0 Moinhos

Fábio Henriques

 

Académica/SF 0-0 Atl. Arganil

 

Vinha Rainha 2-3 União FC

João Filipe (VR); Rui, Trovejada e Joel (UFC)

 

Marialvas 0-2 Vigor Mocidade

Telmo e Gonçalo Estanqueiro

 

Lagares Beira 0-2 Pampilhosense

David Simões e Marcelo

 

Carapinheirense 3-1 Febres

Faria (2), Autogolo (Cdc); Batista (Feb)

 

Classificação:

 

Ultima Jornada:

União FC – Académica SF

Vigor Mocidade – Vinha da Rainha

Pampilhosense – Marialvas

Febres – Lagares da Beira

Ançã FC – Carapinheirense

Moinhos – Touring

Atl. Arganil – Eirense

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:40

BOLAS PARADAS FIZERAM A GRANDE DIFERENÇA

por ultraserranos4605, em 15.04.13

PAMPILHOSENSE - CARAPINHEIRENSE

 

24ª Jornada da Divisão de Honra AF Coimbra

Estádio: Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra

Assistência: Cerca de 200 espetadores

Árbitro: Gonçalo Nunes

Assistentes: Mário Santos e Carlos Orlando

Ao intervalo: 0-3

 

Pampilhosense:

Tiburcio, Bruno Santos, Carapau, Cristiano, Samuel Almeida, Marco Rosa (Deco 71m), André Cecim, David Gonçalves (Nuno Batista 83m), Ricky, Marcelo (David Simões 50m) e Reinaldo.

Suplentes não utilizados: Nuno Viseu, Manu, Isidro e Marco Alegre.

Treinador: Carlos Alegre

Ação disciplinar: André Cecim 17m, Tiburcio 46m e Bruno santos 73m

 

Carapinheirense:

Mika, Chipi, Ricardo, Tiago, Girão (Tibério 83m), Luís Santos, Alex, Seidy, Canoso (Amarildo 91m), Ivo Neto (Jé 71m) e Faria.

Suplentes não utilizados: Marco, João Paulo, André Monteiro e Xavier.

Treinador: António Cortesão

Ação disciplinar: amarelo: Faria 41m, Alex 52m, Canoso 58m, Luís Santos 91m e Chipi 96m.

 

Golos: Reinaldo 55m (GDO); Seidy 2m, Alex 40m, e Girão 41m e 68m (Car)

 


O Pampilhosense recebia o novo líder do campeonato, o Carapinheirense, tendo como intenção somar pontos depois de uma excelente vitória na jornada anterior. Já a equipa do concelho de Montemor-o-Velho, apoiada por algum público que se deslocou a Pampilhosa da Serra, sabia que não podia perder pontos e só o triunfo interessava para segurar a liderança e abrir as portas do título.

 


O Carapinheirense viu a sua tarefa facilitada com um golo madrugador de Seidy, aos 2m, que superiormente cobrou um livre direto. Cedo se viu em desvantagem a equipa da casa, mas a reação foi quase imediata, aos 6m Ricky cruzou para Reinaldo cabecear a barra. O Carapinheirense não conseguia superiorizar-se ao Pampilhosense e a equipa da casa voltou a assustar a baliza de Mika, aos 28m, num remate de André Cecim que, em boa posição, atirou por cima. O conjunto da casa estava a criar alguma dificuldade aos forasteiros, que não conseguiam criar perigo junto da baliza de Tiburcio. Mas quem tem exímios executantes de bolas paradas pode marcar a qualquer altura, mesmo sem jogar bem. Foi o que aconteceu aos 40m, com Alex de livre direto a rematar sem hipótese para o guarda-redes pampilhosense. A equipa da casa acusou o golo sofrido e no minuto seguinte facilitou na defensiva. Quem aproveitou foi Ivo Neto que galgou pela direita e ofereceu o 3-0 a Girão. Ao intervalo o Carapinheirense não justificava uma vantagem tão dilatada.

 


No início do segundo tempo a equipa visitante dispôs de duas ocasiões para dilatar o marcador, mas nem Girão nem Faria levaram a melhor sobre o guardião Tiburcio, que em ambas as situações negou o golo. Até que, aos 55m, numa jogada em que o destaque vai para Ricky na forma como ultrapassou alguns adversários, Reinaldo remata colocado de fora da área e reduz o marcador. Este tento ainda fez acreditar a equipa serrana que de seguida tentou importunar a baliza de Mika. Mas, pouco depois, o líder voltou a uma posição confortável no marcador, com Girão a bisar (68m) numa jogada em que só teve de encostar, depois de um cruzamento da direita. Até final, destaque para Mika que, com duas excelentes intervenções (85m e 90m) negou o golo, primeiro a Ricky, num remate cruzado, depois a Reinaldo, que na pequena área não obteve êxito.

 


O Carapinheirense venceu bem, mas por números demasiado pesados para aquilo que produziu. Mas uma equipa com executantes desta classe nas bolas paradas está sempre mais perto de marcar mesmo não jogando bem, e foi o que aconteceu nos dois primeiros golos dos visitantes. O Pampilhosense somou mais uma derrota caseira num jogo em que, em jogo jogado, bateu o pé ao “praticamente” campeão da Divisão de Honra.

 

O trio de arbitragem não teve uma tarde feliz, embora sem influência direta no resultado.

 

Resultados:

Lagares Beira 1-1 Vigor Mocidade

Ricardo Batista (LB); José Dias (VM)

 

Touring 0-1 Eirense

Fábio Henriques

 

Moinhos 1-1 Académica/SF

Coutinho (Moi); Dani (Aac/SF)

 

Atl. Arganil 0-1 Vinha da Rainha

Gato

 

União FC 5-0 Marialvas

Hernâni, Marcos, Danilo, Ricardo Carvalho e Telmo Cerveira

 

Pampilhosense 1-4 Carapinhereinse

Reinaldo (GDP); Seidi, Alex e Girão (2) (Cdc)

 

Febres 1-5 Ançã FC

 

Classificação:

 

Próxima Jornada:

Touring – Ançã FC

Eirense – Moinhos

Académica SF – Atl. Arganil

Vinha da Rainha – União FC

Marialvas – Vigor Mocidade

Lagares da Beira – Pampilhosense

Carapinheirense – Febres

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:33

"KEEP CALM" QUE A MANUTENÇÃO É JÁ ALI...

por ultraserranos4605, em 08.04.13

FEBRES - PAMPILHOSENSE

 

 

23ª Jornada da Divisão de Honra AF Coimbra

Estádio: Complexo Desportivo de Febres

Assistência: cerca de 100 espetadores

Árbitro: Luís Oliveira

Auxiliares: Rafael Cardoso e Diogo Vaz

Resultado ao intervalo: 0-0

 

Pampilhosense:

Tiburcio, Bruno Santos, Carapau, Cristiano, Samuel Almeida, Marco Rosa, André Cecim, David Gonçalves, Ricky, Marcelo (David Simões 65m) (Isidro 93m) e Reinaldo (Marco Alegre 68m).

Suplentes não utilizados: Nuno Viseu, Manu, Deco e Nuno Batista.

Treinador: Carlos Alegre

Ação disciplinar: amarelo: Carapau (82m), Bruno Santos (76m) e David Simões (78m).

 

Febres:

Carlos, Tiago loureiro, Rodrigo, Marco, Medeiros, Cláudio, Batista (Fábio Sousa 74m), Pimpão (Luís Pedro 45m), Hugo (Fifa 62m), Pirolo e Simões.

Treinador: Rui Costa

Ação disciplinar: amarelo: Fifa (76m) e Tiago Loureiro (78m).

 

Golos: David Simões (80m)

 


Depois de quatro derrotas consecutivas, que colocaram o Pampilhosense numa situação mais delicada na tabela, era urgente somar pontos na deslocação a Febres para fugir à despromoção. Num jogo que se adivinhava difícil, pois pela frente estava uma equipa na 4ª posição e em fase positiva, já que perdeu apenas uma partida das últimas nove disputadas, o Pampilhosense deu bem conta do recado!

 

 

A tarde estava chuvosa e o relvado de Febres, bem drenado, apresentava-se algo escorregadio, o que não facilitou a tarefa da equipa serrana na fase inicial do encontro. Mas o Pampilhosense até esteve melhor que o Febres na primeira metade da primeira parte, apesar de não ter conseguido nenhuma situação para marcar. Aliás, as oportunidades de golo no primeiro tempo resumem-se apenas a uma situação, e coube a equipa da casa curiosamente “oferecida” pelo Pampilhosense. Aos 26m, depois de um cruzamento da direita do ataque do Febres, Cristiano foi ao relvado efetuar o corte e quase introduz a bola na sua baliza, valendo o poste esquerdo da baliza de Tiburcio a negar a vantagem ao conjunto da casa. Este lance acordou a equipa da casa que a partir deste instante esteve na mó de cima e dominou até ao final do primeiro tempo, mas sem resultados práticos.

 

 

No segundo tempo a equipa serrana entrou melhor que o seu adversário e logo nos instantes iniciais esteve a milímetros do golo, com André Cecim a chegar atrasado para a emenda a um cruzamento de Reinado. O Pampilhosense controlava as ações no meio campo e aos 59m voltou a criar perigo, Reinaldo rematou cruzado mas Carlos respondeu com uma excelente intervenção. O Febres, muito tímido até então, só aos 77m mostrou um ar da sua graça, o avançado da casa consegue fugir a marcação e na cara de Tiburcio remata para boa defesa do guardião serrano. Mas o Pampilhosense, que foi sempre uma equipa compacta e organizada, viria a colher frutos pela sua entrega e chegou ao golo aos 80m. Num livre direto cobrado por Ricky, a que o guardião Carlos respondeu com uma enorme intervenção para a trave, David Simões vai aproveitar a sobra e de cabeça coloca a sua equipa em vantagem no marcador. Em desvantagem o Febres subiu no terreno e dominou os instantes finais. E o empate podia ter surgido pouco depois (83m) num livre apontado pela equipa da casa a que Tiburcio se opõe com uma defesa difícil e apertada. Mas o Pampilhosense soube controlar bem as ações do jogo, e com os seus jogadores muito concentrados conseguiu anular uma ou duas investidas da equipa da casa nos instantes finais, jogadas essas que poderiam ter resultado em maior perigo para a baliza serrana. O jogo terminou com o Pampilhosense a segurar a vantagem e a conquistar três preciosos pontos.

 


A equipa serrana fez um jogo quase sem reparos no capítulo tático. Fruto de uma elevada concentração e entrega, a equipa pampilhosense controlou quase sempre o seu adversário e teve como prémio a vitória na sequência de um golo apontado no último terço da partida. Um regresso as vitórias que deixa o Pampilhosense com um pé na divisão de honra para a próxima época quando faltam disputar três jornadas.

 

O trio de arbitragem realizou um trabalho bastante satisfatório.

 

Resultados:

Ançã FC 2-2 Eirense

 

Académica/SF 5-1 Touring

Tarquini, Dani (2), Bruno Duarte e Tasquinha (AAC SF);

 

Vinha da Rainha 4-2 Moinhos
Esteves (2), Lima, Telmo (VR); Quim Dias, Canita (Moi)

 

Marialvas 2-2 Atl. Arganil

; Brito (2) (AAA)
 

Lagares Beira 0-0 União FC

 

Carapinheirense 3-2 Vigor da Mocidade
Faria, Alex, Seidy (CDC); Tiago Sobreiro e Nelson (VM)

 

Febres 0-1 Pampilhosense
David Simões

 

Classificação:

 

Próxima Jornada:

Lagares da Beira – Vigor da Mocidade

Touring – Eirense

Moinhos – Académica SF

Atl. Arganil – Vinha da Rainha

União FC – Marialvas

Pampilhosense – Carapinheirense

Febres – Ançã FC

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:59

PAMPILHOSENSE MARCOU PRIMEIRO, MAS ACABOU GOLEADO

por ultraserranos4605, em 25.03.13

PAMPILHOSENSE - ANÇÃ FC

 

22ª Jornada da Divisão de Honra AF Coimbra

Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra

Assistência: cerca de 150 espetadores

Árbitro: Fábio Monteiro

Auxiliares: Pedro Viveiros e Luís Jesus

Resultado ao intervalo: 1-2

 

Pampilhosense:

Tibúrcio, Rabeca, Cristiano, Marco Rosa, Samuel Almeida (Reinaldo 53m), André Cecim, David Gonçalves, Marco Alegre (Manu 67m), Ricky, Flávio Salgado e Marcelo (Deco 84m).

Suplentes não utilizados: Nuno Viseu, Isidro, Nuno Batista e David Simões.

Treinador: Carlos Alegre

Disciplina: Amarelos – Ricky (37m), Samuel Almeida (46m), Tiburcio (56m) e Deco (92m); Vermelho por acumulação – Rabeca (31m e 81m); Vermelho direto – Flávio Salgado (61m).

 

Ançã FC:

Rodrigo Cruz, André Santos, David Matado, João Miguel, Ricardo Costa, João Catarino, Luís Simões, Rui Jorge, Valter Silva (Agostinho 56m), David Lopes (Fábio Santos 66m) e Paulo Bio (Micael Garrido 85m).

Suplentes não utilizados: Jorge Bolito, Filipe Cardetes, David Soares e João Pinto.

Treinador: Paulo Taraio

Disciplina: Amarelo – Ricardo Costa 70m e Fábio Santos 92m.

 

Golos: Marco Alegre (23m) – GDP; Rui Jorge (29m), Auto golo (42m) Paulo Bio (50m e 56m), João Catarino 84m.

 


A necessitar de pontuar a equipa do Pampilhosense recebeu ontem o terceiro classificado do campeonato, o Ançã FC. Depois de três derrotas consecutivas a equipa pampilhosense queria regressar aos bons resultados e somar pontos na luta pela manutenção. Já o conjunto do concelho de Cantanhede desejava apagar a má imagem deixada na jornada anterior onde perdeu por 4-0, deixando a equipa mais longe na luta pelo título.

 


Assistiu-se a uma primeira metade equilibrada, sem que nenhuma equipa assumisse com clareza as despesas do desafio. Com raras ocasiões de golo, aquelas que surgiram resultaram mesmo em golo. O primeiro golo da partida apareceu aos 23m e para a equipa da casa, dando a ideia que o Pampilhosense poderia arrancar para um bom resultado. Depois de um lançamento em profundidade Ricky e o guardião Rodrigo Cruz chocaram e a bola sobrou para Marco Alegre que, oportuno, atirou para o fundo da baliza. A resposta do conjunto de Ançã não tardou e, aos 29m,Valter Silva conduziu um ataque rápido pela esquerda e cruzou para Rui Jorge que, depois de vários ressaltos, atirou para a igualdade. O desafio estava interessante e equilibrado com Pampilhosense e Ançã FC a tentarem construir situações de perigo junto das balizas. Mas foi já na reta final do primeiro tempo, aos 43m, que num lance aparentemente inofensivo os verdes e branco vão chegar a vantagem. Tiburcio e André Cecim não se entenderam e o jogador serrano acaba por introduzir a bola na sua própria baliza. O intervalo chegou com vantagem para o “ferryaço” apesar do equilíbrio patente.

 


No segundo tempo o Ançã FC entrou forte e resolveu a partida nos primeiros 11 minutos. A equipa do Pampilhosense estava desconcentrada e Paulo Bio, na sequência de um pontapé de canto, antecipou-se e fez de cabeça o terceiro golo para a sua equipa. O golo pesou na equipa serrana que, seis minutos depois, deu espaço para os jogadores visitantes construírem uma boa jogada com Paulo Bio a emendar para o 4-1, depois de uma boa defesa de Tiburcio a remate de Luís Simões. A partir daqui a história do jogo acabou, o Ançã FC geriu a vantagem a seu belo prazer e mais facilmente o fez depois de Flávio Salgado receber a cartolina vermelha direta aos 61m. A situação ainda piorou mais para a equipa pampilhosense depois de Rabeca, aos 81m, receber também ordem de expulsão ao ver o segundo cartão amarelo. O Ançã FC aproveitou a superioridade numérica de dois jogadores para, aos 84m, fazer o 5-1 numa jogada de insistência, depois de um pontapé de canto, com João Catarino a finalizar de cabeça.

 


O Pampilhosense marcou primeiro fazendo querer que podia arrancar para um bom resultado. Mas puro engano. A equipa do Ançã FC respondeu rápido e depois com uma forte entrada no segundo tempo construiu a vitória tranquila.

 

Num jogo fácil de gerir a equipa de arbitragem cometeu vários erros. Não teve a mesma dualidade de critérios num lance em que a bola vai a mão de um jogador visitante no interior da sua grande área, quando o resultado ainda estava em 1-1, isto depois de minutos antes ter assinalado uma infração a um jogador pampilhosense por jogada idêntica. Quanto ao capítulo disciplinar, houve exagero nas duas expulsões dos jogadores do Pampilhosense.

 

Resultados:

Eirense 0-0 Académica/SF

 

Touring 2-0 Vinha da Rainha

 Marquito (2)

 

Moinhos 3-2 Marialvas

Canita (2), Tiago Tavares (Moi); Ruben (2) (Mar)

 

Atl. Arganil 0-2 Lagares Beira

Ricardo Batista (2)

 

União FC 0-1 Carapinheirense

Alex

 

Vigor Mocidade 3-1 Febres

João Dias, China, Edu (VM); Pirolo (Feb)

 

Pampilhosense 1-5 Ançã FC

Marco Alegre (GDP); Rui Jorge, auto-golo, Paulo Bio (2) e João Catarino

 

Classificação:


Próxima Jornada:

Ançã FC – Eirense

Académica SF – Touring

Vinha da Rainha – Moinhos

Marialvas – Atl. Arganil

Lagares da Beira – União FC

Carapinheirense – Vigor Mocidade

Febres - Pampilhosense

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:23

UM GOLO BASTOU PARA O LIDER VENCER OS SERRANOS

por ultraserranos4605, em 18.03.13

PAMPILHOSENSE - VIGOR MOCIDADE

 

21ª Jornada da Divisão de Honra AF Coimbra

Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra

Assistência: cerca de 70 espetadores

Árbitro: Nuno Roque

Auxiliares: Paulo Santos e Filipe Mendes

Resultado ao intervalo: 0-0

 

Pampilhosense:

Tibúrcio, Rabeca (Davi Simões 83m), Cristiano, Marco Rosa, Samuel Almeida, André Cecim, David Gonçalves, Ricky, Flávio Salgado, Marcelo e Reinaldo (Deco 78m).

Suplentes não utilizados: Nuno Viseu, Isidro, Pedro Barata, Manu e Marco Alegre.

Treinador: Carlos Alegre

Disciplina: Amarelos - Ricky (82m)

 

Vigor Mocidade: Emanuel, Relvão (Nélson 55m), João Dias, Fernando, Luís Jorge, Telmo Pereira (Edu 69m), Nuno Apóstolo (João Paulino 77m), Melo, Zé Dias, Tiago Sobreiro e China.

Suplentes não utilizados: Vasco; Jardel, Francisco Seguro e Miguel Diz.

Treinador: Rafael Silva

Disciplina: Amarelos - China (82m)

 

Golos: Tiago Sobreiro (79m)

 

O Pampilhosense recebia o Vigor da Mocidade, equipa que comanda o campeonato e que vinha a Pampilhosa da Serra disposta em manter a liderança depois do afastamento da Taça AFC na semana anterior. Já o conjunto serrano, que vinha de duas derrotas consecutivas, tentaria neste encontro amealhar pontos para fugir aos lugares mais incómodos da classificação.

 

O conjunto da casa até entrou bem no desafio. Sem mostrar receio da equipa que lidera a tabela, os serranos estiveram melhor nos primeiros 20m do desafio, construindo boas jogadas e conseguindo dominar em posse de bola. Mas este domínio territorial não se traduziu em oportunidades claras de golo, pois faltou maior clareza ao ataque. Aos poucos a equipa de Fala começou a equilibrar para depois passar a comandar as operações. A primeira situação de golo apareceu, aos 28m, num remate de Zé Dias que embateu no poste direito da baliza de Tiburcio. Aos 37m, num lançamento lateral, Telmo serviu Tiago Sobreiro e este rematou para boa intervenção de guardião serrano. O Vigor da Mocidade estava a conseguir desenhar algumas jogadas de perigo. Aos 40m, na marcação de um pontapé de canto, João Dias salta mais alto que todos e cabeceia para uma excelente defesa de Tiburcio que assim manteve o nulo no marcador, resultado com que se foi para descanso.

 

No reatamento o Pampilhosense voltou a entrar melhor que o seu adversário e Reinaldo levou o perigo a baliza de Emanuel. O avançado serrano surgiu em boa posição na esquerda mas o remate não teve o melhor seguimento. Os visitantes, como lhes competia, até porque defendiam a liderança, voltaram a ser a equipa com maior superioridade, tomando a iniciativa de jogo, iniciativa essa também um pouco concedida pela equipa do Pampilhosense. Apesar dessa superioridade, o Vigor Mocidade estava a ter algumas dificuldades em criar situações para marcar e os remates de meia distancia ou bolas paradas eram as armas para tentar surpreender o Pampilhosense. Exemplo disso foi quando China, aos 69m, rematou de livre direto para Tiburcio defender de forma apertada por cima do travessão. Nesta fase a equipa da casa procurava responder em contra ataque às investidas contrárias, mas foi o Vigor da Mocidade que, aos 79m, vai chegar ao golo numa rápida jogada de ataque que apanhou a equipa serrana em contrapé. Tiago Sobreiro recebeu um passe em profundidade e correu para a baliza ultrapassando Tiburcio para fazer o único tento na partida e garantir o triunfo visitante. Cinco minutos depois o avançado de Fala esteve perto de repetir a façanha ao fugir a defensiva serrana para em zona frontal atirar ao lado. Mais golos e situações de perigo não aconteceram até final e os três pontos viajaram para a equipa de Fala que assim mantém a liderança.

 


A equipa serrana entrou bem no desafio em ambas as partes, mas faltou maior acutilância atacante para criar reais situações para marcar. Já o Vigor da Mocidade, equipa bem organizada e que continua a liderar a tabela, foi bem mais objetiva nas fases do jogo em que dominou. Bastando apenas um golo para conseguir os três pontos em disputa.

 

O trio de arbitragem esteve em bom plano. Nota bem positiva em todos os critérios.

 

Resultados:

Lagares Beira 2-1 Moinhos

Marco Paiva e Tó (LB); Tiago Tavares (Moi)

 

Febres 5-0 União FC

Rodrigo, Tiago Loureiro, Hugo Pinto, Pirolo e Batista

 

Pampilhosense 0-1 Vigor Mocidade

Tiago Sobreiro

 

Ançã FC 0-4 Académica/SF

Gonçalo (2), Vinhas e Autogolo

 

Vinha Rainha 1-2 Eirense

Paulito (VR); Ricardo Freixo, Fábio II (UCE)

 

Marialvas 2-3 Touring

Mingatos, Marquito e João Vilela

 

Carapinheirense 4-1 Atl. Arganil

Xipi, Seidy e Tibério (2) (CDC); Filipe Salvado (AAA)

 

Classificação:


Próxima Jornada:

Eirense – Académica SF

Touring – Vinha da Rainha

Moinhos – Marialvas

Atl. Arganil – Lagares da Beira

União FC – Carapinheirense

Vigor Mocidade – Febres

Pampilhosense – Ançã FC

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:33

ANTEVISÃO DA JORNADA PAMPILHOSENSE

por ultraserranos4605, em 16.03.13

Pampilhosense - Vigor da Mocidade

21ª Jornada Campeonato da Divisão Honra AF Coimbra

Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra, 17/03 às 15h.

 

O campeonato da Divisão de Honra regressa amanhã com o líder a deslocar-se a Pampilhosa da Serra. A equipa do Pampilhosense ainda não venceu em casa em 2013 e durante a temporada apenas conseguiu duas vitórias na condição de visitado. Perante o Vigor da Mocidade os serranos sabem que não será fácil inverter os resultados caseiros, mas a equipa mostra-se motivada para contrariar o líder do campeonato e tentar regressar aos triunfos. O Pampilhosense necessita de somar pontos para fugir aos lugares mais incómodos da tabela, e depois da pesada derrota na jornada anterior frente ao União FC por 4-0, o conjunto pampilhosense quer nesta partida dar uma imagem diferente. Já a equipa do Vigor da Mocidade vem a Pampilhosa da Serra com o intuito de somar mais uma vitória e manter a liderança na tabela classificativa. A turma de Fala apenas perdeu por duas ocasiões nesta temporada, uma para o campeonato ainda na primeira volta, a outra na semana passada frente ao Lagares da Beira que ditou o afastamento da Taça AFC. Foi uma derrota no prolongamento por 2-1 que certamente deixou a equipa do Vigor da Mocidade com um amargo de boca. E é também com vontade de esquecer esse resultado que o conjunto de Fala vem Pampilhosa da Serra para vencer, prosseguindo no alcance do único objetivo presente: ser campeão.

 

Foto de arquivo

Na temporada passada o Pampilhosense foi derrotado pelo Vigor da Mocidade.

 

2011/2012 (Divisão de Honra)

Pampilhosense 0-1 Vigor da Mocidade

 

1994/1995 (II Divisão Distrital)

Pampilhosense 1-1 Vigor da Mocidade

Jerónimo

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:14

ENTRAR A PERDER E ACABAR GOLEADO!

por ultraserranos4605, em 04.03.13

UNIÃO FC - PAMPILHOSENSE

 

20ª Jornada da Divisão de Honra AF Coimbra

Campo da Feira Nova em Figueira do Lorvão

Assistência: cerca de 200 espetadores

Árbitro: Telmo Galvão

Auxiliares: Bruno Rodrigues e Tiago Fernandes

Resultado ao intervalo: 1-0

 

Pampilhosense:

Nuno Viseu, Rabeca, Carapau (Pedro Barata 30m), Cristiano, Samuel Almeida (David Simões 69m), Bruno Santos (Marco Rosa 96m), David Gonçalves, Ricky, Marcelo, Flávio Salgado e Reinaldo.

Suplentes não utilizados: Nuno Batista, Isidro, Deco e Manu.

Treinador: Carlos Alegre

Disciplina: amarelo: David Gonçalves 25m, Bruno Santos 47m, Marcelo 58m e Flávio Salgado 95m.

 

União FC:

Pardal, Danilo, Ricardo (Lucas 75m), Bruno, Diogo, Marcelo (Batista 63m), Hernâni, Marcos, Pastel, Rui (Tó 84m) e Ricardo.

Suplentes não utilizados: Daniel, Carlos, Rui Branco e Pedrito

Treinador: André Pimpão

Disciplina: amarelo: Pardal 44m, Ricardo 51m e Ricardo 63m

 

Golos: Hernâni 1m, Rui 67m, Lucas 91m e Tó 96m (gp)

 


Pampilhosense e União FC, duas equipas separadas apenas por um ponto na tabela classificativa, defrontavam-se em Figueira do Lorvão com o intuito de ambos regressaram ao caminho dos triunfos. A equipa serrana tem, ao longo do campeonato, se dado bem na condição de visitante, enquanto o União FC, em casa, não tem sido feliz nos últimos desafios.

 

Ainda muitos espetadores não tinham entrado no Campo da Feira Nova, outros a acomodavam-se nos seus lugares, já a equipa da casa se adiantava no marcador com um golo aos 35 segundos. A defensiva serrana facilitou num passe cumprido e deixou fugir Marcelo que ultrapassou Nuno Viseu e serviu (de forma involuntária pois o objetivo era fazer o golo) Hernâni que a boca da baliza fez um golo fácil. Um golo madrugador que deitou por terra a estratégia que o Pampilhosense trazia para este jogo. O conjunto de Pampilhosa da Serra tardou em acertar com as movimentações ofensivas do adversário que, aos 26m, esta perto de ampliar a vantagem de livre direto, valeu a excelente intervenção do guardião Nuno Viseu a remate de Hernâni. O Pampilhosense só conseguiu responder a meia hora na sequência de um pontapé de canto, Flávio Salgado cruzou e Rabeca desviou de cabeça com muito perigo. Aos 39m, em mais um passe cumprido, a equipa da casa volta a criar perigo com Rui a rematar por cima quando estava completamente isolado. E foi novamente de bola parada que os visitantes voltaram a ameaçar a baliza de Pardal, aos 41m, Ricky ganhou nas alturas ao guardião local e Marcelo, com a baliza deserta, atirou por cima de forma incrível. Três minutos depois Bruno Santos desmarcou Reinaldo e este é derrubado em falta pelo guarda-redes local no interior da grande área. A grande penalidade foi assinalada e concretizada por Ricky, mas o árbitro da partida, de forma inexplicável, mandou repetir. Na repetição o guardião Pardal levou a melhor e não permitiu a Ricky igualar o desafio.

 


O Pampilhosense veio para o reatamento com vontade de discutir o resultado. Mas coube à equipa da casa o primeiro sinal de perigo com Rui, dentro da pequena área, a rematar para as mãos de Nuno Viseu. O jogo na segunda metade foi mais morno, com o União FC muito organizado a controlar a partida e a aguentar as investidas no ataque do Pampilhosense para depois partir em rápidas jogadas de contra-ataque. E foi dessa forma, aos 67m, que os da casa vão ampliar o marcador, Rui fugiu a defensiva visitante e ultrapassou Nuno Viseu fazendo o segundo golo para a sua equipa. Com vantagem de dois golos o conjunto da casa ficou ainda mais tranquilo para gerir o resultado. Marcelo ainda dispôs de uma boa ocasião para marcar, mas faltou maior confiança ao jogador serrano para conseguir o golo. Já em período de compensação o União FC vai marcar por duas ocasiões. Na primeira, aos 91m, numa rápida jogada de ataque conduzida sempre pela esquerda, através do seu capitão de equipa, que depois ofereceu o 3-0 a Lucas. O 4-0 surgiu aos 96m por Tó na transformação de uma grande penalidade a castigar uma infração de Flávio Salgado no interior da aérea pampilhosense.

 


Um golo poucos segundos depois do início da partida veio facilitar a tarefa da equipa do União FC. O Pampilhosense tardou em responder mas quando o fez criou perigo conseguindo mesmo igualar, numa grande penalidade que o árbitro da partida de forma inexplicável mandou repetir, sendo que depois o jogador pampilhosense não conseguiu o mesmo efeito. No segundo tempo a equipa da casa geriu a vantagem e em contra-ataque sentenciou a partida. Os dois golos conseguidos em período de compensação pelo União FC acabam por ditar um resultado demasiado pesado para a equipa pampilhosense face ao que aconteceu na partida.

 

O trio de arbitragem cometeu alguns erros, mas o mais flagrante e comprometedor acaba por ser a grande penalidade que, depois de transformada em golo pela equipa serrana, foi mandada repetir por alegadamente jogadores pampilhosense terem invadido a grande área. O que não aconteceu e facilmente é comprovado pelas imagens em vídeo que nós dispomos deste lance.

 

Resultados:

Lagares Beira 5-1 Touring

Tony (3), Carlos Santos e Leonel;

 

Moinhos 0-1 Carapinheirense

Faria

 

União FC 4-0 Pampilhosense

Hernâni, Rui, Lucas e Tó

 

Eirense 4-2 Marialvas

Teles (2) e Moita (2) (UEC); Luís Rodrigues e Tiago Andrade (Mar)

 

Académica/SF 2-0 Vinha da Rainha

Gonçalo e Dani

 

Atl. Arganil 0-6 Febres

Medeiros, Pirolo, Hugo Pinto (3) e Pimpão

 

Vigor Mocidade 1-1 Ançã FC

João Dias (VM); Valter Silva (AFC)

 

Classificação:


Próxima Jornada:

Lagares da Beira – Moinhos

Febres – União FC

Pampilhosense – Vigor Mocidade

Ançã FC – Académica SF

Vinha da Rainha – Eirense

Marialvas – Touring

Carapinheirense – Atl. Arganil

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:01


. ............ . . .

.


LIGAÇÕES - PLANTEL 18/19 E VIDEOS

.

.








RECORDAÇÕES

 

 

 

 

eXTReMe Tracker