Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mostra a Tua Alma Serrana!


 

 

 Ontem foi dia de Assembleia Geral do Grupo Desportivo Pampilhosense com o principal ponto da ordem de trabalhos ser a eleição de novos Corpos Sociais para o próximo biénio. Até aqui tudo normal. O início dos trabalhos estava marcado para as 20h30m, com a habitual tolerância de 30m, prevendo-se que a Assembleia Geral principiasse às 21h. Mas na verdade só as 22h os trabalhos tiveram o seu início. Isto por culpa da enorme afluência de sócios que, entre assinar o livro de presenças e regularizar as suas quotas, atrasaram o início dos trabalhos. Trabalhos que depois iniciaram perante uma plateia de 169 associados! Nunca uma Assembleia Geral do Grupo Desportivo Pampilhosense teve este número de sócios presentes, e até no panorama de equipas de escalões profissionais são poucos os clubes que conseguem reunir tal número de associados numa Assembleia Geral. Este foi o primeiro aspeto a ter em conta e que começa por tornar histórico este ato. Perante uma plateia tão numerosa o presidente da mesa, António Caetano, começou por esclarecer e impor alguns pontos imprescindíveis para que o decorrer da Assembleia Geral acontece-se de forma normal e célere. O presidente da Assembleia Geral explicou também que, face ao elevado número de sócios que se previa estarem presentes, foi necessário alterar o local da Assembleia Geral do Salão Nobre da Camara Municipal de Pampilhosa da Serra para o Auditório Monsenhor Nunes Pereira contrariando a convocatória inicial. O presidente da Direção, Ricardo Serra, começou também por explicitar o primeiro ponto da ordem de trabalhos, que se tratava de um breve esclarecimento da situação financeira do clube neste momento. Os associados ficaram a saber que o clube, em contas “por alto”, terá um saldo positivo de cerca de 600€.

 

De seguida deu-se inico ao segundo ponto da ordem de trabalhos, eleição dos novos órgãos sociais, o motivo principal que trouxe 169 associados a esta Assembleia Geral. Foi entregue na mesa duas listas que se propunham a dirigir os destinos do clube nos próximos dois anos. O primeiro a fazê-lo foi Ricardo Serra, o homem que esta a frente dos destinos da instituição desde 2010. De seguida também o associado João Neves, que é o tesoureiro da direção desde 2010, entregou uma lista encabeçada pelo mesmo. Aqui assistiu-se ao segundo ponto histórico desta Instituição, pela primeira vez surgem duas listas candidatas aos Corpos Sociais do GDP. Os elementos da mesa analisaram as duas candidaturas confirmando que ambas estavam em conformidade com o exigido. De seguida o presidente da Assembleia Geral deu 10m para que os dois candidatos pudessem, perante os associados, referir os motivos e objetivos das suas candidaturas. Ambos explanaram as suas ideias, muitas delas semelhantes e com os objetivos essenciais a serem comuns. Estava tudo pronto para que se inicia-se a votação, sendo que a denominação de Lista A foi entregue a Ricardo Serra (por ser o primeiro a entregar a sua candidatura) e a designação de Lista B entregue a João Neves (por ser o segundo a entregar a sua candidatura).  Os sócios, depois de ouvir os dois candidatos, foram então chamados a pronunciarem-se numa votação que só terminou por volta das 23h15m. Quinze minutos depois já estavam contados os votos que o Presidente da Assembleia Geral deu a conhecer aos associados. Dos 169 associados que estavam presentes no início da Assembleia Geral votaram 165, 92 votos foram para a Lista B liderada por João Neves, 71 votos para a Lista A liderada por Ricardo Serra, houve também 2 votos em branco. Estava encontrada equipa que vai dirigir os destinos do clube nos próximos dois anos.

 

Numa Assembleia Geral histórica e que terminou perto da meia noite, os sócios do Pampilhosense deram um exemplo cabal de serenidade, responsabilidade, ponderação e maturidade. Tornaram este ato histórico ao marcaram a sua presença em numero tão elevado, comportando-se de uma forma muito responsável ao longo de toda a Assembleia Geral. Está de parabéns o Pampilhosense pela forma como tudo decorreu, ficando o desejo que este ato (face ao numero de participantes) possa ter incentivado os sócios a participarem com maior regularidade e entusiamo em todas as iniciativas que o GDP vá desenvolver no futuro. Parabéns aos novos Corpos Socias, em particular ao João Neves, votos de um bom trabalho e muitos sucessos. Não esquecer também o Ricardo Serra que liderou uma equipa que em dois anos conseguiu elevar o clube e realizar um trabalho bastante positivo no plano desportivo. Para terminar, dizer que depois do que aconteceu nesta Assembleia Geral, na forma como tudo foi regulado, o grande vencedor foi mesmo o Grupo Desportivo Pampilhosense.

 

Os Órgãos Sociais eleitos para o próximo biénio.

 

Assembleia Geral:

Presidente: José Alberto Brás Almeida – Soc. 162

1º Secretario: Rui Miguel de Almeida Nunes – Soc. 30

2º Secretario: Roberto Paulo Costa Almeida – Soc. 825

1º Suplente: Gabriela Delfina Nascimento Santos – Soc. 731

2º Suplente: Vitor Manuel Fernandes Augusto – Soc. 308

 

Direção:

Presidente: João Manuel Almeida Neves – Soc. 799

Vice Presidente: Pedro Nuno Santos Almeida – Soc. 172

Vice Presidente: Carlos Quinteiro Dias Ferrão – Soc. 782

Vice Presidente: Paulo Jorge Antunes Marques – Soc. 602

Vice Presidente: Ricardo Manuel Marques Francisco – Soc. 811

Vice Presidente: Ivo Manuel Batista Matos – Soc. 793

Secretario. Maria Inês Custodio Barata – Soc. 753

Tesoureiro: Vanda Isabel Baeta Branco – Soc. 693

Vogal: Francisco Emanuel Nunes Ricardo – Soc 572

Vogal: Jorge Manuel Martins Gonçalves – Soc 164

 

Conselho Fiscal:

Presidente: Fernando Barata Nunes de Almeida – Soc. 248

Secretario: Luís Batista Gomes Simões – Soc. 215

Relator: Luís Manuel Fernando Carlota – Soc 51

Suplente: Ricardo Alexandre Olivença dos Anjos –  Soc. 797

Suplente: Albertina Maria Gomes Batista – Soc. 781

Suplente: Ana Isabel Rito Domingos Costa – So. 117

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:33

Divulgamos a lista dos melhores marcadores da Divisão de Honra AF Coimbra 11/12 onde, nos primeiros lugares, constam dois jogadores pampilhosenses. Figueiredo, o médio goleador que marcou 14 golos, só é ultrapassado por Gato (Vinha da Rainha) e Rui Jorge (Ançã FC) ambos com 18 golos. Já Samuel Garrido com 10 golos surge também entre os 10 melhores marcadores da distrital.

 

 

18 Golos: Gato (Vinha Rainha), Rui Jorge (Ançã)

 

14 Golos: Figueiredo (Pampilhosense)

 

12 Golos: Reinaldo (Arganil)

 

11 Golos: Jó (Vinha Rainha), Rafael Duarte (Penelense), Tenente (Vigor), Marco (Touring)

 

10 Golos: Samuel Garrido (Pampilhosense)

 

9 Golos: Tibério (Carapinheirense), Mário João (Vinha Rainha), Agostinho (Ançã), Faca (Eirense),

 

8 Golos: Breda, Tiago Sobreiro, Luis Jorge (Vigor), Bruno Carvalho (Carapinheirense), Filipe Pita, Zeca (Penelense), Luis Rodrigues (Marialvas),

 

7 Golos: Vinhas, Dani (Académica/SF), Nélson (Vigor), Canoso (Carapinheirense), João Pinto (Ançã), Pedro Silva (Febres),

 

6 Golos: Manzato (Arganil), André Santos (Ançã), Galego (Pampilhosense), Dani Alves (Vigor), Teles (Eirense)

 

5 Golos: David Lopes (Pampilhosense), Sulçe (Penelense) Tarquini (Académica/SF), Moita, França (Eirense), Relvão (Vigor), Pedro Catarino (Ançã), Medeiros (Febres),

 

4 Golos: Carlos (Vigor), Fifas, Tiago Andrade (Marialvas), Faria, Seidi (Carapinheirense), Maia (Touring), Paulo Bio (Ançã), Ricardo Batista, Pimpão (Arganil), Dani (Tabuense), Comboio (Penelense), Nunito (Gândara), Fábio Sousa (Febres),

 

3 Golos: Ivo (Carapinheirense), Canita, Xhevat (Penelense), João Pedro (Febres), Facão (Touring), Valada (Eirense), David Pratas (Ançã), Telmo (Vigor), David Almeida (Arganil)

 

2 Golos: Pimpão, Zeca, Custódio, Pedro Silva, Renato (Febres), Rui (Gândara), David Respeito, Diogo Costa, Miguel, Carlitos (Arganil), Zé Chora, João Paulo, Sérgio Quintã (Touring), Afonso, João Vieira (Vigor), Rodrigo, Valter Silva (Ançã), Xano, Fábio, Willy (Penelense), Pepe, David Gonçalves, Rabeca (Pampilhosense), Ricky, Amadeu, Fred, Catota (Tabuense), Mesquita, Ricardo, Jessy (Gândara), Sandro, Pedro Salgado, Vitó (Vinha Rainha), Joel (Carapinheirense), Tiago Loureiro (Marialvas), Vitor

 

1 Golo: Gonçalo, Luciano, Amado (Arganil), Pratas, João Miguel (Ançã), David, Paulo Roberto, Hugo, Gameiro, Tiago Almeida (Marialvas), Caeiro, Kiko, Tasquinha, Didier, Gonçalo, Tiago, Pimenta (Académica/SF), Quirino, Paulo, Samuel Chipenhe (Pampilhosense), Rui Costa, Luís Marques, João Miguel, Luís (Febres), Renato, Rui, Cardoso, João Pais, Nito, David Mateus (Eirense), André Félix (Vinha Rainha) Bé, Eduardo, Filipe (Gândara) Ivo Neto, Girão, André Monteiro, Rafael, Afonso (Carapinheirense), Tiquinho, Fábio Cambraia, Tonecas, Serginho (Touring), João Quaresma, Rodolfo, Galo, Carlos, David (Tabuense), Samuel Chipenhe, Quirino (Pampilhosense), Serginho, Pedro Penela, João Morais, Henrique, Pedro Lopes, J.P. (Penelense), J.P., Bruno Nunes (Penelense), Nuno Apostolo, Fernando (Vigor)

 

Autogolo do Tabuense para o Arganil

Autogolo do Vigor para o Eirense

Autogolo do Ançã para o Vigor

Autogolo do Febres para o Eirense

Autogolo do Vinha Rainha para o Marialvas

Autogolo do Vigor para a Académica/SF

Autogolo do Arganil para Académica/SF

Autogolo do Ança para o Vigor

 

Golos em falta:

- Falta 2 marcadores (Gândara)

- Falta 8 marcadores (Académica/SF)

- Faltam 7 marcadores (Marialvas)

- Falta 1 marcador (Touring)

- Falta 1 marcador (Eirense)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30

PAMPILHOSENSE 11/12 - TODOS OS NUMEROS

por ultraserranos4605, em 11.05.12

Depois de ontem termos feito um comentário e um resumo daquilo que foi esta época no regresso a Divisão de Honra, hoje analisamos todas as estatísticas de um plantel constituído por 27 jogadores, dos quais foram utilizados 25. Apenas dois atletas não fizeram qualquer minuto ao longo de toda a época, Gustavo e Isidro. E começamos precisamente pelo número de minutos de utilização que cada jogador teve ao longo da temporada no Campeonato e na Taça AFC.

 

Relativamente ao tempo jogado Marco Paiva foi o atleta pampilhosense com mais minutos nas pernas ao longo da temporada. O lateral serrano foi dos jogadores em maior foco durante a temporada.

 

Marco Paiva – 2135C – 90T

David Gonçalves – 2123C – 90T

Quirino – 1935C – 90T

Pepe – 1930C – 90T

Samuel Garrido – 1889C – 90T

Figueiredo – 1732C – 90T

David Lopes – 1700C – 40T

Tiburcio – 1691C

Galego – 1445C – 90T

Samuel Almeida – 1383C

Carocho - 1358C – 80T

Luís Carlos - 1290C – 12T

Rabeca – 961C – 90T

Tantan – 954C – 90T

Cigas – 944

Samuel Chipenhe – 856C

Fernando – 630C – 90T

Marco Alegre – 271C

Cristiano – 218

Paulo Marques – 68C

Deco – 60C

David Simões – 21C

Braçal – 20C

Jorge Silva – 17C

Pedro Barata – 7

 

C – Campeonato

T – Taça

 

Quanto ao número de jogos, David Gonçalves foi o único atleta que participou em todos os jogos oficiais do Pampilhosense nesta temporada, 27 partidas no total, 26 para o campeonato e uma para a Taça.

 

David Gonçalves – 26C – 1T

Marco Paiva – 25C – 1T

Pepe – 24C – 1T

Figueiredo – 24C – 1T

Samuel Garrido – 24C – 1T

David Lopes – 23C – 1T

Quirino – 23C – 1T

Galego – 22C – 1T

Rabeca – 22C – 1T

Carocho – 19C – 1T

Samuel Almeida – 19C

Tiburcio – 19C

Luís Carlos – 17C – 1T

Tantan – 15C – 1T

Samuel Chipenhe – 15C

Cigas – 11C

Cristiano – 9C

Fernando – 7C – 1T

Marco Alegre – 7C

Deco – 4C

Paulo Marques – 3C

David Simões – 1C

Braçal – 1C

Jorge Silva – 1C

Pedro Barata – 1C

 

Relativamente a assistências para golo, David Gonçalves está no topo da lista como o jogador que mais golos ofereceu aos seus companheiros. O médio pampilhosense foi dos atletas mais regulares da temporada.

 

David Gonçalves – 8

Galego – 5

Samuel Garrido – 4

Figueiredo – 3

Samuel Almeida – 3

Rabeca – 3

David Lopes – 2

Samuel Chipenhe – 2

Marco Paiva – 2

Tantan – 1

Carocho – 1

Cigas – 1

Quirino – 1T

 

Na lista de goleadores Figueiredo foi o mais concretizador da equipa, aliás, o jogador serrano foi dos melhores marcadores da Divisão de Honra, feito ainda mais significativo tratando-se de um médio. Foi dos jogadores em maior destaque da equipa ao longo do campeonato.

 

Figueiredo – 14

Samuel Garrido – 10

Galego – 6

David Lopes – 5

Pepe – 2C – 1T

David Gonçalves – 2

Rabeca – 2

Samuel Chipenhe – 1

Quirino – 1

Auto-golo - 1

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:12

COMENTÁRIO E VIDEO DA TEMPORADA

por ultraserranos4605, em 10.05.12

Doze anos depois o Pampilhosense regressou, nesta temporada, a Divisão de Honra para cumprir a sua quarta presença no escalão maior da Distrital de Coimbra. A época foi planeada com o objetivo da manutenção, e depois conseguir a melhor classificação possível. Com o intuito de atingir esse objetivo o plantel foi formado sob as ordens do treinador Bruno Ferreira que, depois de subir a equipa na temporada anterior, manteve-se ao comando de um grupo que transitou, maioritariamente, da temporada anterior. Aos muitos atletas que renovaram juntaram-se, no início da época, sete novos jogadores que vieram reforçar a equipa dando maior qualidade e experiencia ao Pampilhosense para enfrentar a Divisão de Honra. O primeiro terço do campeonato não correu de feição, mas de qualquer das formas a equipa manteve-se dentro dos objetivos traçados da manutenção. A partir da oitava jornada o Pampilhosense entrou num ciclo de 14 jogos consecutivos onde só por uma ocasião conheceu o sabor da derrota, em casa do campeão Penelense por 2-1. Esta onda de bons resultados transportou a equipa para a luta por um lugar entre os cinco primeiros classificados, mas que no final de contas não se veio a verificar. Tal não aconteceu porque o Pampilhosense fez uma parte final de campeonato muito aquém das expetativas, conseguindo apenas uma vitória nos últimos cinco jogos, três pontos em quinze possíveis, onde na primeira volta, perante os mesmos adversários, conseguiu amealhar treze pontos! Com as quatro derrotas consecutivas nos últimos cinco desafios o Pampilhosense ficou-se pelo sétimo posto da geral, a apenas dois pontos de distância do quinto classificado. Esta classificação é o segundo melhor registo de sempre do Pampilhosense na Divisão de Honra, alcançado no ano de regresso que se espera ser o primeiro na consolidação dos serranos neste patamar. Ao longo da temporada ficaram, pela positiva, alguns jogos na retina, como a vitória na primeira jornada frente ao Penelense por 3-0, o empate a uma bola em Fala perante o Vigor da Mocidade, ou também o empate a duas bolas no terreno do Ançã FC (segundo classificado) depois de uma desvantagem de 2-0. Relativamente a Taça AF Coimbra o Pampilhosense, depois de ficar isento na segunda ronda, ficou-se pelos oitavos de final ao ser afastado, em casa, pelo Febres por 2-1.

 

Fica de seguida um vídeo com alguns dos momentos da temporada:

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:49

VITÓRIA GORDA NA DESPEDIDA

por ultraserranos4605, em 07.05.12

PAMPILHOSENSE - TABUENSE

 

 

Ultima jornada da Divisão de Honra da AF Coimbra

Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra

Assistência: cerca de 150 espetadores

Árbitro: João Calado

Assistentes: Telmo Rainha e Pedro Ribeiro

Resultado ao intervalo: 3-0

Tempo: algumas nuvens

 

Pampilhosense:

Tiburcio (Braçal 71m), Marco Paiva, Cristiano, Luís Carlos, Samuel Almeida, David Gonçalves, Rabeca (Deco 68m), Figueiredo, David Lopes, Galego (Samuel Chipenhe 57m) e Samuel Garrido.

Suplentes: Braçal, Quirino, Carocho, Deco, Samuel Chipenhe e Pepe.

Treinador: Bruno Ferreira

 

Tabuense:

Rodrigo, Tiago, J. Mendes, Quintino, Chalana, David, Fred (Cabaço 56m), Carlos, Dani (Riky 45m), Galo e Donald (Emanuel 62m).

Suplentes: T.J., Cabaço, Quaresma, Emanuel, Riky, Carlitos e Grilo.

Treinador: Zezinho

 

Golos: Rabeca 3m, Figueiredo 25m e 83m e Samuel Garrido 30m.

 

Depois de quatro derrotas consecutivos o Pampilhosense queria, na última jornada do campeonato, vencer e assim terminar a temporada da melhor forma perante os seus adeptos. Do outro lado estava um Tabuense condenado, já na jornada anterior, a descida de divisão mas queria, pontuando nesta partida, evitar cair para lanterna vermelha na última jornada.

 

O Pampilhosense entrou bem e chegou a vantagem logo a passagem do terceiro minuto. Samuel Garrido fez o cruzamento e Figueiredo rematou para boa defesa de Rodrigo, na recarga, Rabeca fez o golo. A equipa serrana não levantou o pé e aos 7m Samuel Garrido surge solto na direita mas finaliza sem sucesso. Perante um Tabuense a demonstrar grandes fragilidades o Pampilhosense não teve dificuldades em aumentar a vantagem, o que aconteceu aos 25m depois de um passe cumprido de Samuel Almeida que Figueiredo aproveitou para de primeira surpreender o guardião contrário e fazer o 2-0. Cinco minutos depois novo golo para os serranos, David Gonçalves isolou Galego e este ofereceu o golo a Samuel Garrido que concluiu com êxito uma boa jogada coletiva da sua equipa. A equipa da casa jogava bem, perante um Tabuense que só de bola parada, pontapés de canto ou livre, levava a bola a grande área pampilhosense mas sem nunca conseguir uma situação clara de golo. Por isso ao intervalo o resultado era justo, o Pampilhosense foi a única equipa a criar ocasiões para marcar e com três golos na primeira meia hora de jogo garantia, praticamente, o triunfo.

 

O segundo tempo não foi entusiasmante. O Pampilhosense a vencer por 3-0 jogou a ritmo de treino e o Tabuense também não mostrava capacidades para importunar a baliza serrana. Mesmo assim, pouco despois do recomeço da partida, Marco Paiva esteve perto do golo num remate forte no interior da área, valeu a boa intervenção do guarda-redes Rodrigo. Só nos últimos 20m o jogo voltou a ganhar algum estímulo, com Deco a ficar perto de fazer o 4-0 num remate do meio da rua que só não resultou em golo porque Rodrigo fez a defesa da tarde. O Pampilhosense ameaçava chegar a goleada, com algumas jogadas de perigo a que faltou apenas uma melhor conclusão. E, como já se esperava, o 4-0 acabou mesmo por acontecer, David Lopes isolou Figueiredo que correu sozinho para fazer o seu 14º golo da temporada, confirmando-se como um dos melhores marcadores deste campeonato. A equipa serrana ainda dispôs de mais algumas ocasiões para chegar a meia dezena mas nem Samuel Garrido nem Samuel Chipenhe conseguiram finalizar. O jogo terminou com o Pampilhosense a vencer de forma justa e com goleada.

 

A equipa do Pampilhosense despediu-se desta época com uma goleada e uma exibição positiva. Não foi preciso acelerar muito para construir uma vitória numa partida que ficou praticamente resolvida na primeira meia hora! A equipa serrana termina o campeonato na sétima posição (a segunda melhora classificação de sempre do clube na Divisão de Honra) com quarenta pontos, a apenas dois pontos de distância do quinto lugar. Já o Tabuense com esta derrota desceu para o último lugar e para o ano vai disputar a 1ª Divisão Distrital.

 

O trio de arbitragem teve uma tarde tranquila.

 

 
Video com os melhores momentos da partida:

 

Resultados da Ultima Jornada:

Gândara 3-2 Académica SF

Jessy, Ricardo e Nuno Gonçalves (Gan); Danny e Tiago (AAC/SF)

 

Penelense 1-0 Febres

Rafael Duarte

 

Vinha da Rainha 4-1 Carapinheirense

Mário João (3) e Gato (VR); Afonso (Car)

 

Ançã FC 3-0 Eirense

Agostinho (2) e David Pratas

 

Vigor da Mocidade 2-1 Touring

Dani Alves e Tenente (VM); Marquito (Tou)

 

Marialvas 5-0 Atl. Arganil

Tiago Loureiro, Luís Rodrigues, Gameiro e Tiago Andrade

 

Pampilhosense 4-0 Tabuense

Rabeca, Figueiredo (2) e Samuel Garrido

 

Classificação Final:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:38

PAMPILHOSENSE CONTÍNUA NA SENDA DAS DERROTAS

por ultraserranos4605, em 30.04.12

FEBRES - PAMPILHOSENSE

 

 

 

25ª Jornada da Divisão de Honra da AF Coimbra

Complexo Desportivo de Febres

Assistência: cerca de 120 espetadores

Árbitro: Fábio Monteiro

Assistentes: Diogo Silva e Luís Almeida.

Resultado ao Intervalo: 1-0

Tempo: Sol

 

Pampilhosense:

Tiburcio, Marco Paiva, Quirino, Luís Carlos, Samuel Almeida (Pepe83m), David Gonçalves, Rabeca (Cristiano 79m), Figueiredo, David Lopes, Samuel Chipenhe (Galego 54m) e Samuel Garrido.

Suplentes: Fernando, Cristiano, Galego e Pepe.

Treinador: Bruno Ferreira

 

Febres:

Pedro, Pedro Silva, André (Tomané 73m), Renato, Daniel, Claudio (Luis Marques 59m), Silva (Rui Costa 73m), medeiros, João Miguel, Pedro Lopes e Sousa.

Suplentes não utilizados: Marques e Ricardo.

Treinador: Rui Costa

 

Golos: Pedro Silva 21m

 

Na penúltima jornada do campeonato o Pampilhosense voltou a jogar fora de portas e novamente em terras do concelho de Cantanhede, desta feita em Febres. A equipa serrana vem de três derrotas consecutivas e três jogos sem marcar qualquer golo, já o Febres vem de um afastamento da Taça AFC e nos últimos dois desafios em casa o melhor que fez foi empatar uma vez. As duas equipas lutam pelo quinto lugar na tabela com vantagem para a equipa do concelho de Cantanhede que têm dois pontos de avanço sobre os serranos.

 

O desafio até começou animado, com a primeira grande oportunidade a surgir para o Febres à passagem do minuto 8, num remate cruzado a que Tiburcio se opôs com uma grande intervenção. A partida continuou equilibrada até que aos 21m, numa perda de bola do pampilhosense numa transição para o ataque, o Febres aproveita por Pedro Silva que recebe o cruzamento da esquerda e a entrada da pequena área encosta com facilidade para o fundo da baliza pampilhosense. Em desvantagem o Pampilhosense tentou responder mas foi o Febres que em contra ataque, aos 34m, esteve perto do 2-0, o avançado da casa isolou-se mas adiantou muito a bola e permitiu a intervenção do guarda redes serrano. O Pampilhosense criou perigo de verdade só aos 36m, Samuel Garrido recebeu um cruzamento atrasado e rematou de zona frontal com muito perigo a baliza de Pedro. Já sobre o apito final do primeiro tempo o Pampilhosense está muito próximo do empate, novamente por Samuel Garrido, o avançado serrano disparou forte e Pedro executa uma grande defesa apesar do desvio que a bola sofreu na barreira. Ao intervalo os da casa estavam na frente do marcador.

 

A equipa de Pampilhosa da Serra veio do intervalo disposta a alterar o rumo dos acontecimentos tentando criar perigo junto da baliza adversária. Aos 53m David Lopes tem um momento de inspiração e disfere um remate de fora da área muito colocado, a bola tira tinta ao poste esquerdo da baliza de Pedro. A equipa serrana continuava a pressionar e pouco depois David Lopes cruza e Figueiredo, a boca da baliza, perde de forma incrível o empate. O Febres tentava responder em contra-ataque, conseguindo alguns lances em que também poderia ter sentenciado a partida. O mais flagrante aconteceu aos 67m quando um jogador da casa não conseguiu, sobre a linha de golo, emendar de cabeça e fazer o mais fácil: o golo. Quando já se entrava para a reta final do desafio, aos 79m, o Pampilhosense volta a estar perto da igualdade na sequência de um pontapé de canto, Quirino cabeceou mas Samuel Garrido serviu de defesa contrário e evitou o que seria a igualdade. Já em perigo de compensação o Febres tem nova jogada de contra-ataque que só não resultou em golo porque o remate forte saiu por cima do travessão.

 

A Pampilhosense somou a quarta derrota consecutiva e também o quarto jogo sem marcar golos. No entanto neste desafio faltou alguma sorte aos serranos para conseguirem o resultado que melhor se ajustava face ao que se passou dentro de campo, o empate. Uma derrota que afasta em definitivo o Pampilhosense do quinto lugar. E quando falta cumprir apenas uma jornada para o final do campeonato o Pampilhosense já sabe que o atual sétimo posto será a sua classificação final.

 

O trio de arbitragem realizou um trabalho satisfatório.

 

Video com dois dos momentos da partida:

 

 

 Resultados:

Febres 1-0 Pampilhosense

Pedro Silva

 

Carapinheirense 1-2 Penelense

Rafael (Car.); Rafael Duarte e Bruno Nunes (Pen.)

 

Eirense 5-0 Vinha da Rainha

Vitor, França, Teles, David Mateus e Faca.

 

Touring 0-5 Ançã FC

Valter Silva 2, Rui Jorge, Agostinho e David Pratas

 

Académica SF 1-4 Vigor da Mocidade

Pimenta (AAC-SF); Tenente, Fernando, Telmo Cerveira e Nuno Apostolo

 

Atl. Arganil 2-0 Gândara

David Almeida e Reinaldo

 

Tabuense 2-3 Marialvas

Galo e Carlos (GDT); Tiago Andrade (2) e Tiago Almeida

 

Classificação:

 

Ultima Jornada:

Penelense – Febres

Vinha da Rainha – Carapinheirense

Ançã FC – Eirense

Vigor da Mocidade – Touring

Gândara – Académica SF

Marialvas – Atl. Arganil

Pampilhosense – Tabuense

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:36

LUÍS RODRIGUES O DIABO A SOLTA NUM INFERNO DE 30M

por ultraserranos4605, em 16.04.12

OS MARIALVAS - PAMPILHOSENSE

 

24ª Jornada da Divisão de Honra AF Coimbra

Estádio Municipal de Cantanhede

Assistência: cerca de 100 espetadores

Árbitro: Luís Oliveira

Assistentes: Bruno coelho e Jorge Rodrigues

Resultado ao intervalo: 3-0

Tempo: sol e muito vento

 

Pampilhosense:

Tiburcio, Marco Paiva, Quirino (Rabeca 64m), Pepe, Samuel Almeida (Figueiredo 30m), Luís Carlos, Carocho, David Gonçalves, Samuel Chipenhe (Deco 80m), David Lopes e Samuel Garrido.

Suplentes: Fernando, Deco, Galego, Cristiano, Figueiredo e Rabeca.

Treinador: Bruno Ferreira

 

Os Marialvas:

Jorge, Ricardo, Hugo, Paulo Roberto, Igor (Lourenço 70m), Luís Rodrigues (David 88m), Bruno, Fifa (Gameiro 55m), Tiago Loureiro, Tiago Andrade e Steven.

Suplentes: Dias, Lourenço, David, Gameiro

Treinador: Pedro Costa

 

Golos: Luís Rodrigues (5m, 12m e 26m)

 


Depois de um interregno de duas semanas o Campeonato da Divisão de Honra regressou, com o Pampilhosense a deslocar-se a Cantanhede para defrontar o Os Marialvas. A equipa serrana, depois de duas derrotas consecutivas, partia disposta a regressar aos triunfos para tentar subir ao quinto posto da geral. Já o conjunto da casa Os Marialvas, equipa história da AF Coimbra, tinha que somar pontos para tentar fugir a despromoção, um cenário bem real e que ameaça a equipa de Cantanhede.

 


A precisar urgentemente de pontos a equipa da casa entrou no desafio mais forte e, aproveitando também o vento que soprava a seu favor, tentava lançar jogadas rápidas no ataque. Assim, logo aos 4m, Luís Rodrigues surge solto na direita e remata ao poste da baliza de Tiburcio. Estava dado o primeiro aviso por parte do jogador da casa que foi o grande quebra-cabeças para o conjunto de Pampilhosa da Serra. Aviso dado e, um minuto depois na sequência de um pontapé de canto, Luís Rodrigues remata colocado da entrada da área e faz o primeiro golo na partida, adiantando o Marialvas no marcador. Quase não houve tempo para a reação serrana, porque aos 12m numa rápida jogada de ataque o endiabrado Luís Rodrigues surge, na direita, isolado e remata cruzado para fazer o 2-0. O Pampilhosense tentou reagir, teve algumas jogadas de perigo junto da baliza a guarda de Jorge, como um livre direto de Samuel Garrido que passou perto do ferro, mas a tarde era do Marialvas, mais concretamente de Luís Rodrigues. Aos 26m, numa jogada quase tirada a papel químico do segundo golo, o inevitável Luís Rodigues aparece na direita e só com Tiburcio pela frente não têm dificuldade em fazer 3-0 e o seu terceiro golo. Os serranos estavam completamente surpresos com que o estava a acontecer, e pior poderia ter sido se não fosse Tiburcio, aos 28m, fazer uma grande defesa depois de um cabeceamento no interior da pequena área. A equipa do Pampilhosense despertou um pouco, e a meia hora de jogo, numa excelente jogada coletiva dos visitantes, David Gonçalves surge isolado mas o guarda-redes Jorge consegue negar o golo. Quatro minutos depois David Gonçalves serve David Lopes que em boa posição dentro da área rematou ao lado. O Pampilhosense tentava reduzir antes do descanso, o que voltou a estar perto de acontecer aos 41m quando Marco Paiva cruzou e David Lopes saltou mais alto que todos para cabecear com muito perigo. O golo para o GDP não surgiu ao final dos primeiros 45m, com o Marialvas a vencer por 3-0. Um resultado pesado, fruto de meia hora inspirada dos da casa, em particular do avançado Luís Rodrigues ao apontar os três golos.

 


A segunda metade pouco tem para contar. O Marialvas limitou-se a defender a vantagem de três golos e os três preciosos pontos na luta pela manutenção. O Pampilhosense bem tentou chegar ao golo que relançaria um pouco o desafio. Mas as muitas paragens forçadas pelos jogadores da casa, aleado já ao pouco discernimento da equipa do Pampilhosense, faziam com que as situações de perigo junto da baliza de Jorge fossem escassas. E quando aconteciam estava lá o guarda-redes da casa para negar o golo serrano. Foi assim num excelente cabeceamento de Samuel Chipenhe depois de um pontapé de canto com Jorge a brilhou na baliza. E brilhou novamente na reta final do desafio, aos 84m, quando Samuel Garrido disparou de fora da área e o guardião da casa enviou para canto. Pouco depois o árbitro da partida ainda negou um golo ao GDP por entender que Pepe controlou a bola com o braço, o que não aconteceu. Na segunda parte o tempo foi correndo com o Marialvas, apesar de vencer de forma clara, entrar em desnecessárias perdas de tempo e, pior ainda, entradas duríssimas que só por mera sorte não resultaram em lesões graves para os jogadores serranos.

 


A vitória do Marialvas é justa, muito por culpa de uma entrada no jogo fortíssima da equipa de Cantanhede, a explorar muito bem o facto de jogar a favor do vento forte e também de alguma apatia dos serranos. O Pampilhosense tardou a responder e quando o fez já era tarde com uma desvantagem difícil de recuperar. Nota de destaque para o avançado Luís que em 26m fez três golos e enviou uma bola ao poste. Pela negativa fica mal uma equipa a vencer por uns claros 3-0 insistir em sucessivas “jogadas” para perder tempo e exagerar no jogo violento com entradas duríssimas sobre os jogadores adversários.

 

O trino de arbitragem fez um trabalho regular, pecando apenas no capitulo disciplinar já que deveria ter tomado outra postura perante algumas entradas bem duras dos jogadores da casa sobre jogadores pampilhosenses.

 

Para terminar, saudar a equipa do Penelense que nesta jornada se sagrou campeã da Divisão de Honra pela primeira vez na sua história, subindo assim a 3ª Divisão Nacional.

 

Um video com alguns dos momentos da partida:


Resultados:

Febres 1-2 Carapinheirense

Renato (Feb); Rafael e Joel (Car.)

 

Penelense 2-2 Eirense

Zeca e Rafael (Pen); Xipi e faca (UEC)

 

Vinha da Rainha 6-2 Touring

Gato (3), Vitó, Pedro Salgado e Sandro (VR); Marquito e Serginho (Tou)

 

Ançã FC 2-2 Académica SF

Pedro Catarino e João Pinto (AFC);

 

Vigor da Mocidade 2-0 Atl. Arganil

Vieira e Nelson

 

Gândara 1-1 Tabuense

Jessy (Gan); David (GDT)

 

Marialvas 3-0 Pampilhosense

Luís Rodrigues (3)

 

Classificação:

 

Próxima Jornada:

Febres – Pampilhosense

Carapinheirense – Penelense

Eirense – Vinha da Rainha

Touring – Ançã FC

Académica SF – Vigor da Mocidade

Atl. Arganil – Gândara

Tabuense – Marialvas

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:17

O APROVEITAR DA BOLA PARADA

por ultraserranos4605, em 26.03.12

PAMPILHOSENSE - CARAPINHEIRENSE

 

23ª Jornada da Divisão de Honra AF Coimbra

Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra

Assistencia: cerca de 200 espetadores

Árbitro: Gonçalo Ribeiro

Assistentes: Mário Serrano e Luís Santos

Resultado ao intervalo: 0-1

Tempo: sol e calor

 

Pampilhosense:

Tiburcio, Marco Paiva, Quirino (Cristiano 90m), Pepe, Samuel Almeida, Luís Carlos, David Gonçalves, Samuel Chipenhe (Deco 75m), David Lopes, Rabeca e Samuel Garrido.

Suplentes: Fernando, Deco, Galego, Cristiano e Carocho.

Treinador: Bruno Ferreira

 

Carapinheirense:

Paulo André, Teixeira, Diallo, Tiago, Luís Santos, Seidy, Canoso, Tuga, Bruno Carvalho (Karia 65m), Joel (Ivo 76m) e Tibério (Afonso 89m).

Suplentes: Pedro, Afonso, Ivo e Karia.

Treinador: António Cortesão.

 

Golos: Seidy 24m e Canoso 90m.

 

 

 Depois de uma derrota amarga na jornada anterior o Pampilhosense, com varias ausências importantes, queria, na receção ao Carapinheirense, regressar aos triunfos e continuar a ambicionar chegar ao 4º posto da geral. Mas a equipa que é a melhor defesa da prova, e que ocupa o 4º lugar da classificação, vinha a Pampilhosa da Serra disposta também a vencer para segurar a posição na tabela e espreitar o último lugar do pódio. Perante uma boa moldura humana e tempo quente, Pampilhosense e Carapinheirense tinham tudo para proporcionar um bom espetáculo.

 

 

 A equipa da casa entrou bem na partida, e aos 5m podia se ter adiantado no marcador, depois de um livre com Samuel Garrido a saltar a vontade dentro da grande área mas o cabeceamento saiu a figura do guarda-redes Paulo André. O Pampilhosense estava bem e aos 12m, depois de uma boa jogada coletiva, David Lopes entra na grande área e é derrubado por Paulo André com o árbitro da partida a assinalar a respetiva infração. A equipa serrana tinha aqui uma soberana oportunidade para sair a frente no marcador mas David Gonçalves, chamado a converter, não aproveitou e rematou por cima. Esta foi a 4ª grande penalidade que o Pampilhosense desperdiçou neste campeonato! Depois deste lance a turma da casa quebrou um pouco, mas mesmo assim manteve o jogo sobe seu controlo. Até que aos 24m o Carapinheirense vai explorar um dos seus pontos fortes, as bolas paradas, para chegar a vantagem. Na marcação de um livre direto Seidy executou de forma exemplar e fez um bonito golo. A equipa serrana acusou o tento sofrido e não conseguiu responder com competência. Em contrapartida, o Carapinheirense galvanizou-se e tomou as rédeas do desafio. Apesar do maior domínio da turma do concelho de Montemor-o-Velho, foi preciso esperar até aos 37m para se assistir a uma clara oportunidade para marcar. O conjunto visitante saiu num contra-ataque muito rápido conduzido por Joel, este ofereceu a Tibeiro a oportunidade para fazer o segundo que só não aconteceu porque o guardião Tiburcio fez uma excelente intervenção. O melhor aproveitamento das bolas paradas fazia a diferença ao intervalo a favor dos visitantes, numa primeira metade dividida por duas metades cada uma delas dominada por cada equipa.

 

 

 O Pampilhosense veio do descanso cheio de vontade em alterar o rumo dos acontecimentos. Logo 2m depois do reatamento Samuel Garrido conduziu e abriu para David Lopes que, na esquerda, rematou cruzado com muito perigo. Aos 56m foi Samuel Chipenhe a entrar na área mas Paulo André saiu rápido da sua baliza e fez a mancha. O Carapinheirense respondeu e Tiberio trabalha bem no interior da grande área serrana, faz a rotação e remata muito forte, valeu para o Pampilhosense que a bola saiu a figura do guardião Tiburcio. Aos 60m os visitantes voltaram a criar perigo no contra-ataque, Joel entrou pela direita mas foi demasiado egoísta. A grande ocasião da segunda parte para o Pampilhosense igualar aconteceu aos 67m, Samuel Chipenhe recebe a bola bem no coração da área visitante e, só com Paulo André pela frente, rematou a trave da baliza. No minuto seguinte, no seguimento de um pontapé de canto, Quirino saltou ao segundo poste mas não aproveitou a saída em falso do guardião contrário. A partir daqui os da casa abrandaram o ritmo, e só de bola parada conseguiram levar algum perigo a baliza adversária. Já o Carapinheirense, sempre a apostar no contra-ataque, punha em sentido a defensiva da casa que estava a arriscar cada vez mais. O perigo só voltou a rondar a baliza do Carapinheirense quando aos 82m Samuel Garrido num livre direto rematou forte para defesa difícil de Paulo André. A equipa serrana não tinha já forças para alcançar a igualdade e os visitantes, aos 90m, selaram a vitória através de um golo obtido num puro contra-ataque.  Tuga fez, inteligentemente, a jogada aproveitando o adiantamento da defensiva local, correu vários metros sozinho e perante o guarda-redes Tiburcio não foi egoísta e ofereceu o golo a Canoso. O jogo terminou pouco depois.

 

 

 Num jogo bem disputado, a concretização na bola parada fez a diferença com o Pampilhosense a perder a oportunidade de se adiantar no marcar ao desperdiçar a 4ª grande penalidade da época e o Carapinheirense a concretizar, pouco depois, de livre direto. A equipa da casa, com várias ausências por lesão, desperdiçou outras ocasiões que poderiam ter levado o resultado final a ser diferente. O Carapinheirense também mostrou o porque de ocupar os lugares cimeiros da tabela e com os três pontos obtidos continua na perseguição ao terceiro posto.

 

O trio de arbitragem realizou uma prestação positiva.

 

Video com alguns dos momentos da partida:

 

 

Resultados:

Pampilhosense 0-2 Carapinheirense

Seidy e Canoso

 

Eirense 1-2 Febres

; Medeiros e Fábio Sousa (Feb)

 

Touring 1-4 Penelense

; Zeca (2), J.P. e Filipe Pita (Pen)

 

Académica SF 5-0 Vinha da Rainha

 

Atl. Arganil 0-5 Ançã FC

Rui Jorge (2), Agostinho, Pedro Catarino e David Pratas

 

Tabuense 0-4 Vigor da Mocidade

Dani Alves, Relvão, Tenente e Luís Jorge

 

Marialvas 3-1 Gândara

 

Classificação:

 

Próxima Jornada:

Febres – Carapinheirense

Penelense – Eirense

Vinha da Rainha – Touring

Ançã FC – Académica SF

Vigor da Mocidade – Atl. Arganil

Gândara – Tabuense

Marialvas – Pampilhosense

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:42

DORMIR, DORMIR E ACORDAR TARDE

por ultraserranos4605, em 18.03.12

GÂNDARA - PAMPILHOSENSE


22ª Jornada Divisão Honra da AF Coimbra

Parque Desportivo das Lagoas, Bom Sucesso – Figueira da Foz

Assistência: Cerca de 70 espetadores

Árbitro: Pinto Nunes

Assistentes: Alexandre Pinto e Carlos Abreu

Resultado ao intervalo: 0-0

Tempo: Sol e vento

 

Pampilhosense:

Tiburcio, Marco Paiva, Quirino (Deco 84m), Luís Carlos, Samuel Almeida, David Gonçalves, Figueiredo, David Lopes (Samuel Chipenhe 45m), Rabeca (Pepe 45m), Galego e Samuel Garrido.

Suplentes: Fernando, Cristiano, Deco, Pepe e Samuel Chipenhe.

Treinador: Bruno Ferreira

 

Gândara:

Animal, Mesquita, Nunito, Nuno, Jacinto (Rafael 92m), Filipe, Patrick (Be 84m), Mickael (Romão 45m), Rafa, Jeecy e André.

Treinador: Paganini

 

Frente ao último classificado o Pampilhosense só tinha um objetivo, vencer e assim espreitar o quarto posto da tabela. Já a equipa da Gândara precisa urgentemente de pontos para fugir a despromoção, e um ponto perante o Pampilhosense, equipa que atravessa uma excelente fase, já seria um bom prémio.

 


 equipa serrana realizou uma partida desinspirada, o cedo isso ficou patente. Os da casa entraram confiantes, aproveitando a apatia dos jogadores visitantes, e criando situações claras para inaugurar o marcador. Nos primeiros 10m minutos o conjunto do Bom Sucesso desperdiçou duas claras ocasiões para marcar, na primeira foi Jeecy que, rapidíssimo, surgiu solto do lado direito e rematou ao lado. Na segunda, aos 7m, o mesmo Jeecy cruzou da direita e Mickael, solto ao segundo poste, rematou ao lado. O Pampilhosense não se encontrava, não conseguia impor o seu futebol mais tecnicista na zona intermediária, e os jogadores da Gândara, sempre mais rápidos e agressivos na disputa de cada lance, superiorizavam-se e dominavam todas as ações na zona central do terreno. Aos 33m, resultado do maior domínio da equipa do concelho da Figueira da Foz, em mais uma jogada de ataque, Mickael surge, uma vez mais, solto de marcação ao segundo poste a rematar com muito perigo sobre o travessão da baliza a guarda de Tiburcio. O conjunto de Pampilhosa da Serra, talvez algo surpreendido pela exibição desinibida da equipa que ocupa o último lugar da classificação, raramente importunou a baliza do guarda-redes adversário, Animal. Durante 45m os serranos não criaram nenhuma oportunidade clara para marcar, e quem assistisse a esta partida, sem conhecer a classificação geral, dificilmente acreditaria que entre ambos existem 32 de discrepância. Ao intervalo o nulo era algo lisonjeiro para os visitantes.

 

 

 O segundo tempo abre praticamente com o golo do Gândara. Aos 47m Nunito fugiu a defensiva serrana e foi derrubado em falta no interior da área por Tiburcio. O árbitro da partida não tem dúvidas em assinalar o castigo máximo que Mesquita chamado a converter não desperdiçou. O golo da equipa da casa despertou o Pampilhosense, que começou a tentar tomar as rédeas da partida, embora de uma forma algo tímida e desorganizada. A primeira grande oportunidade para os serranos marcarem surgiu só aos 73m, Figueiredo lançou Samuel Garrido e este rematou para uma excelente defesa de Animal. No seguimento do pontapé de canto nova ocasião para o Pampilhosense, Samuel Chipenhe falhou a igualdade a boca da baliza. O Pampilhosense pressionava e no minuto seguinte Marco Paiva, depois de um cruzamento da direita, rematou de primeira mas o guardião Animal, que começava a ser uma das figuras da sua equipa, negou uma vez mais a igualdade. A equipa da casa respondeu num ataque rápido por intermedio de Jeecy, que rematou para uma excelente intervenção de Tiburcio que assim manteve a sua equipa na discussão do resultado. Os serranos, agora sim a demonstrarem um pouco das suas capacidades, já a caminhar para a reta final do desafio, aos 83m, voltaram a estar próximo da igualdade, Galego em trabalho individual na esquerda rematou ao lado com perigo. A equipa da casa voltou a responder em contra-ataque, Jeecy e Nuno, na mesma jogada, proporcionam duas grandes defesas ao guardião Tiburcio. Mas a defesa da tarde ainda estava para acontecer, aos 88m Animal mostrou ser um autêntico “animal” dentro dos poste e com uma enorme intervenção negou o golo a Galego num remate forte e colocado no interior da grande área. O jogo caminha para o final mas antes nova defesa de Animal que, por instinto, defendeu sobre a linha de golo um cabeceamento de Samuel Chipenhe e segurou os três preciosos pontos para a sua equipa. O jogo terminou pouco depois.

 

 

 O Pampilhosense neste jogo não foi a equipa a que nos habituou ao longo deste campeonato. Transmitindo uma imagem completamente oposta daquilo que foi no desafio anterior frente ao Eirense, e com isso pagou a fatura: a derrota. Um resultado amargo e inesperado que quebrou uma série de bons resultados dos serranos, mas que em nada belisca a excelente época de um clube que só este ano regressou ao convívio dos grandes do futebol distrital de Coimbra. São três preciosos pontos para o Gândara tentar fugir a despromoção e ao último lugar da tabela. Uma vitória da equipa que mais fez por merecer perante um Pampilhosense que só apareceu no jogo já o mesmo estava no último terço.

 

O trio de arbitragem aplicou um critério excessivamente largo no ajuizamento de lances divididos. As faltas e os cartões são para assinalar e foram várias as situações em que isso não aconteceu. À exceção deste reparo nada mais a apontar.

 

Resultados:

 Carapinheirense 1-1 Eirense

Canoso (Car);Teles (UCE)

 

Febres 0-2 Touring

Quintã e Marquito

 

Penelense 2-0 Académica/SF

Rafael Duarte (2)

 

Vinha da Rainha 2-3 Arganil

Mário João e Sandro (VR); David Almeida (2) e Pimpão (AAA)

 

Ançã FC 1-0 Tabuense

Rui Jorge

 

Vigor da Mocidade 5-3 Marialvas

Tiago Sobreiro, Tenente (2) e Nélson (2) (VM);

 

Gândara 1-0 Pampilhosense

Mesquita

 

Classificação:

 

Próxima Jornada:

Pampilhosense – Carapinheirense

Eirense – Febres

Touring – Penelense

Académica SF – Vinha da Rainha

Atl. Arganil – Ançã FC

Tabuense – Vigor da Mocidade

Marialvas – Gândara

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:36

PAMPILHOSENSE - EIRENSE

 

21ª Jornada Divisão Honra AF Coimbra

Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra

Assistência: Cerca de 140 espetadores

Árbitro: Ricardo Bonito

Assistentes: Sérgio Piroto e Bruno Rodrigues

Resultado ao intervalo: 1-0

Tempo: Sol e calor

 

Pampilhosense:

Tiburcio, Marco Paiva, Quirino, Carocho, Samuel Almeida, Luís Carlos, David Gonçalves, Samuel Chipenhe (Figueiredo 77m), Rabeca (Cristiano 90m), Galego (Pepe 47m) e Samuel Garrido.

Suplentes: Fernando, Pepe, Cristiano, Deco, Figueiredo e David Lopes.

Treinador: Bruno Ferreira

 

Eirense:

Peruzzi, Rui, Alex, Chipi, Nuno (Renato 77m), Yuri, Cardoso (Valada 45m), Moita, Teles, França (Faca 62m) e Vitor.

Suplentes: Ivo, Shumi, Patrício, Valada, Faca e Renato.  

Treinador: José Viterbo

 

Golos: Galego 29m

 

 

 Tarde ótima para jogar e assistir ao jogo de futebol entre Pampilhosense e Eirense. Duas equipas que na temporada transata disputavam o mesmo campeonato, subindo ambas a Divisão de Honra. Para esta época os dois conjuntos traçaram objetivos diferentes e o percurso está a ser também bem diferente. O Eirense assumiu, no início, o titulo como meta, mas há muito que os “azuis e brancos” estão afastados dessa luta, ocupando um modesto nono posto. Já o Pampilhosense traçou a manutenção como objetivo e atualmente a equipa luta por tentar chegar a melhor classificação de sempre do clube nesta divisão, acima do quinto lugar. De um lado, o Pampilhosense, uma equipa com muitas limitações, devido a uma enorme onda de lesões, mas confiante face aos bons resultados obtidos. Do outro, o Eirense, a única equipa que ainda não perdeu fora no campeonato mas a realizar uma temporada muito aquém do que todos esperavam.

 

 

 O Eirense entrou bem na partida, tentado controlar as ações do jogo nos primeiros instantes do desafio, demonstrando que queria manter a invencibilidade a jogar na condição de visitante. Aos poucos o Pampilhosense foi equilibrando e dividindo as despesas do jogo. A primeira ocasião para golo surgiu aos 20m e foi para o Eirense. Cardoso recebeu uma bola bombeada para o interior da grande área serrana mas não foi lesto o suficiente para desfeitear o guardião Tiburcio, que levou a melhor com uma defesa segura. Este lance despertou o conjunto pampilhosense que, aos 29m, vai chegar a vantagem no marcador. Samuel Almeida fez um passe em profundidade que parecia controlado pela defensiva visitante e o guardião Peruzzi, no entanto, faltou entendimento entre os três jogadores e quem aproveitou foi Galego que intrometeu-se na jogada para fazer o golo. Na frente do marcador o Pampilhosense animou, já os de Eiras acusaram animicamente o erro que originou o golo e não mais se encontraram até ao final do primeiro tempo. O Pampilhosense aproveitou e, 3m depois do golo, Samuel Garrido, de livre direto bem distante da baliza de Peruzzi, acreditou que podia ser feliz e fez a bola passar muito próximo do travessão. Já sobre o cair do pano do primeiro tempo Samuel Chipenhe entrou dentro da área e serviu Galego que, ao segundo poste, chegou ligeiramente atrasado para emendar com sucesso e rematou ao lado. O Intervalo chegou com o Pampilhosense em vantagem no marcador de forma justa. Foram 45m com escassas ocasiões de golo mas com os serranos a serem a equipa mais perigosa e com “sinal mais”, principalmente depois do golo.

 

 

 O Eirense veio do intervalo com outra disposição e, em desvantagem, começou logo por tomar as rédeas do desafio empurrando o Pampilhosense para o seu meio campo. A abrir, o recém entrado Valado, não acreditou que podia fazer golo e, de cabeça, fez um “passe” para Tiburcio. Os “azuis e brancos” continuavam a carregar e o perigo surgiu dos pés de Teles que, na sequência de um remate da entrada da área, fez a bola passar muito perto do vértice esquerdo da baliza serrana. O Pampilhosense não conseguia sair para o ataque e o cenário piorou quando Carocho, aos 74m, recebe a segunda cartolina amarela e consequente ordem de expulsão. Se até aqui a pressão eirense era grande, mais se intensificou com o GDP a jogar com 10 unidades. Mas diga-se também em abono da verdade que os visitantes, perante uma compacta equipa serrana, não dispuseram de grandes oportunidades de golo tal o indiscutível domínio em posse de bola. E em duas saídas rápidas para o contra-ataque, ambas conduzidas por Figueiredo, os da casa podiam ter sentenciado a partida, faltou melhor capacidade física ao jogador serrano para concluir com êxito os dois ataques. O Pampilhosense, sempre com os jogadores muito solidários e com enorme interajuda, poucas vezes permitiu que o Eirense rematasse no interior da sua área, numa dessas exceções, aos 88m, valeu Tiburcio que com uma defesa atenta manteve a vantagem da sua equipa. Mas a maior oportunidade para o Eirense chegar a igualdade, foi mesmo a mais flagrante de todo o jogo, aconteceu sobre o minuto 90 e de bola parada. Num livre lateral Faca rematou direto ao poste da baliza de Tiburcio, na recarga a bola sobra para Alex que atirou de primeira mas Pepe, sobre a linha de golo, evitou o que já parecia uma certeza, o empate. O jogo termina pouco depois com o Pampilhosense a conseguir segurar a magra vantagem e consequente três pontos.

 

 

 Num jogo em que o Pampilhosense aproveitou um erro adversário para conseguir o único golo do desafio, valeu o trabalho e a solidariedade da equipa que no segundo tempo foi valente e aguentou a maior pressão do Eirense que, com mais uma unidade em campo, não foi capaz de ultrapassar a determinação dos jogadores serranos. Perante uma equipa que ainda não tinha perdido fora de portas, o Pampilhosense conseguiu três pontos sofridos, mas justos, tal o trabalho coletivo de uma equipa que atravessa uma fase complicada, com muitas lesões, mas motivada pelos bons resultados. Nos últimos 14 desafios o Pampilhosense só não somou pontos em uma partida, uma conjunção de resultados que colocam a equipa, neste momento, num excelente quinto lugar na tabela.

 

O trio de arbitragem não teve uma tarefa fácil. Quis evitar a amostragem de cartões no primeiro tempo e no segundo teve muitas dificuldades em segurar o jogo. Cometeu alguns erros.

 

Vídeo com alguns dos momentos da partida:

 

Resultados:

Pampilhosense 1-0 Eirense

Galego

 

Touring 0-3 Carapinheirense

Tibério (3)

 

Académica/SF 1 -3 Febres

Dani (AAC/SF); Medeiros (2) e Pedro Silva (Feb)

 

Atl. Arganil 0-3 Penelense

Pedro Lopes, Filipe Pita e J.P.

 

Tabuense 2-0 Vinha da Rainha

Sandro (AG) e Catota

 

Marialvas 1-2 Ançã FC

Hugo (Mar); João Pinto (2) (AFC)

 

Gândara 1-3 Vigor da Mocidade

Vieira (Gan); Telmo, Tiago Sobreiro e Mesquita (VM)

 

Classificação:


Próxima Jornada:

Carapinheirense – Eirense

Febres – Touring

Penelense – Académica SF

Vinha da Rainha – Atl. Arganil

Ançã FC – Tabuense

Vigor da Mocidade – Marialvas

Gandara – Pampilhosense

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:27


. ............ . . .

.


LIGAÇÕES - PLANTEL 18/19 E VIDEOS

.

.








RECORDAÇÕES

 

 

 

 

eXTReMe Tracker