Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mostra a Tua Alma Serrana!


MELHOR QUE A EXIBIÇÃO FOI O RESULTADO

por ultraserranos4605, em 29.11.21

MOCIDADE FC - PAMPILHOSENSE

Mocidade FC - Pampilhosense 12ªJ DHSA 28-11-2021

 

12ª Jornada da Divisão de Honra AF Coimbra Seria A – 1ª Fase

Campo da Serra em Cheira – Penacova

Assistência: cerca de 100 espetadores

Árbitro: Nuno Guerra

Assistentes: João Gomes e Ricardo Vinagre

Ao intervalo: 0-0

 

Pampilhosense:

Tibúrcio, Seco (Frédéric Tang 62’), Ricardo Santiago, Cristiano, Ladeira, Koné, Dani Cueto, Flávio Salgado, João Luz, Henrique e Curvelo.

Suplentes não utilizados: Kiko e Márcio Machado

Treinador: Carlos Alegre

 

Mocidade FC:

Folha, Samuel Figueiredo, Vitinho, Rui Mendes, Luís Marques, David Escada (Francisco Duarte 88’), Bernardo Marques, João Gouveia, Mané, Victor Moura e Miguel Marques (David Almeida 71’).

Suplentes não utilizados: Daniel Batista, Pedro Rodrigues e João Bartolomeu.

Treinador: Óscar Simões

 

Ação Disciplinar

Amarelos: Cristiano 59’ e Ladeira 83’ (Pampilhosense); David Escada 45’ (Mocidade FC)

Vermelhos: David Almeida 90+6’

 

Golos:

João Luz 90+5’

Mocidade FC - Pampilhosense 12ªJ DHSA 28-11-2021

Este era o primeiro jogo de uma serie infernal de cinco no espaço de duas semanas para o Pampilhosense. Cruzavam-se os extremos da classificação, o Pampilhosense, na liderança da série mas mais com a cabeça no jogo de quarta-feira para a taça, procurava sair de Penacova com mais um bom resultado. Já o Mocidade FC, no último lugar da tabela, já pouco pode aspirar neste momento, uma vez que os cinco primeiros lugares estão de difícil alcance.

Mocidade FC - Pampilhosense 12ªJ DHSA 28-11-2021

Não foi um jogo bonito de se seguir, principalmente na segunda parte. De um lado esteve um Pampilhosense longe das exibições a que já nos habitou nesta temporada. No lado oposto o Mocidade FC, equipa que se apresentou bem organizada defensivamente, procurava tapar os espaços para a sua baliza e espreitar o contra-ataque. As primeiras oportunidades surgiram para o conjunto da casa, a primeira aos 22’, numa jogada de insistência, depois de um livre, Luís Marques subiu à grande área e, ao primeiro poste, desviou e levou a bola a embater no poste direito da baliza de Tibúrcio. Na segunda ocasião, aos 33’, a equipa da casa saiu rapidamente, e bem, para o ataque e Victor Moura, isolado, rematou ao lado. A resposta pampilhosense só surgiu na parte final da primeira parte. Aos 37’ Cristiano arriscou da meia distancia e o guardião Folhas quase introduzia a bola na sua baliza. Aos 44’ Flávio Salgado serviu Curvelo e este, bem colocado dentro da área, rematou cruzado mas lado da baliza. Já no último lance antes do descanso, na melhor jogada até então, Henrique entrou na área pela esquerda, mas finalizou sem confiança.

Mocidade FC - Pampilhosense 12ªJ DHSA 28-11-2021

A segunda metade reúne pouco para contar. O jogo teve muitas paragens, as equipas foram ainda mais desinspiradas e houve momentos que terá sido penoso assistir a tanta atrapalhação. Deste período, para contar, fica um remate, aos 85’, de Dani Cueto à trave da baliza de Folhas e, aos 90+5’, o golo que acabou por decidir os três pontos, com João Luz a aproveitar um livre direto e, num remate certeiro, manter o Pampilhosense no caminho dos triunfos.

Mocidade FC - Pampilhosense 12ªJ DHSA 28-11-2021

O jogo foi de fraca qualidade essencialmente no segundo tempo, mas os três pontos acabaram por tombar para o lado serrano no último lance de um jogo que ninguém merecia vencer. Com este triunfo o Pampilhosense é cada vez mais primeiro e arranca, da melhor forma, esta serie infernal de 5 jogos no espaço de duas semanas, fase em que se pede uma boa gestão de jogadores que são, apenas, amadores!

Mocidade FC - Pampilhosense 12ªJ DHSA 28-11-2021

O trabalho da equipa de arbitragem pereceu-nos ser positivo.

 

Resultados:

Atl. Arganil 1-2 Lagares da Beira

Alexandre Matos (AAA); Nuno Silva e Piti (LB)

 

Nogueirense 0-3 Penelense

Bryan Diniz, Diogo Pato e Queba

 

Mocidade FC 0-1 Pampilhosense

João Luz

 

Tourizense SAD 2-0 União FC

Dani e N`Bonda

 

Lousanense 0-3 Ac. Gândaras

Alex, Guimar e Rafa

 

Classificação:

Class 12ªJ DH SA 1fase 28-11-2021.jpg

 

Próxima Jornada:

União FC – Mocidade FC

Nogueirense – Lousanense

Penelense – Lagares da Beira

Ac. Gândaras – Tourizense SAD

Pampilhosense – Atl. Arganil

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:52

HENRIQUE FAZ O PAMPILHOSENSE CONTINUAR A SOMAR

por ultraserranos4605, em 27.09.21

PAMPILHOSENSE - MOCIDADE FC

Pampilhosense - Mocidade FC 3ªJ DH SA 25-09-2021

 

3ª Jornada da Divisão de Honra AF Coimbra Serie A

Estádio Municipal de Pampilhosa da Serra

Assistência: cerca de 250 espetadores

Árbitro: Pedro Tomás

Assistentes: Renato Almeida e Tomás Almeida

Ao intervalo: 0-0

 

Pampilhosense:

Kiko, Seco, Luís Silva (Flávio Salgado 20’, Deco 77’), Miguel Rocha, Cristiano (Henrique 20’), Ladeira, Bruno Santos, Dany Rodriguez, Igor Gouvea, João Luz e Curvelo.

Suplentes não utilizados: Tibúrcio

Treinador: Carlos Alegre

 

Mocidade FC:

Folhas, Vitinho, Xico, Padeiro, Mauro, Mané, Diogo (JP 75’), Vítor, David Escada, Samuel (Cédric 87’) e Patrício (Videira 60’).

Suplentes não utilizados: Miguel

Treinador: Bruno Silva

 

Amarelos:

Xico 26 e Videira 70’ (Mocidade FC)

 

Golos:

Henrique 48’, 64’ e 70’

Pampilhosense - Mocidade FC 3ªJ DH SA 25-09-2021

 

Em jogo antecipado para sábado, o Pampilhosense tentava dar seguimento aos bons resultados de arranque de época, frente a um Mocidade FC que vinha a Pampilhosa da Serra com o intuito de surpreender. O muito publico presente iria dar o seu tempo por bem empregue.

Pampilhosense - Mocidade FC 3ªJ DH SA 25-09-2021

 

Foram os visitantes que entraram um pouco melhor no encontro, apesar de não construírem grandes ocasiões de golo. As dificuldades iniciais do Pampilhosense foram ultrapassadas depois dos 20’, curiosamente depois de uma dupla substituição forçada por lesões. Os serranos cresceram no jogo e, aos 26’, beneficiam de um pontapé de penalti mas Curvelo, chamado a converter, atirou à trave! Pouco depois, aos 32’, nova oportunidade para o conjunto da casa, foi novamente Curvelo que, já no interior da área, rematou para uma boa defesa de Folhas. O intervalo chegou sem golos!

Pampilhosense - Mocidade FC 3ªJ DH SA 25-09-2021

 

Na segunda parte os donos da casa entraram destemidos em chegar ao golo. João Luz ameaçou aos 47’ num lance que resultou num pontapé de canto, e foi daí que o mesmo João Luz assistiu para Henrique e este, de cabeça, adiantou o Pampilhosense no marcador. O Mocidade FC ainda esboçou uma pequena reação, aos 55’, através de um bom remate de Vítor que obrigou Kiko a uma boa intervenção. Mas o Pampilhosense estava mais determinado construindo várias situações para dilatar o marcador, primeiro foi Henrique, aos 57’, e depois Curvelo, aos 59’, a ficarem muito perto de marcar. Foi então sem supressa que o segundo tento aconteceu, aos 64’, através de um ataque rápido com João Luz a servir Henrique e este a bisar na partida. A sociedade João Luz/Henrique voltou a causar estragos (70’), o primeiro lançou o segundo e este, isolado, assina um hattrick e sentencia de vez o encontro! Até final o resultado ainda podia ter crescido, mas Folhas, aos 85’, negou o golo a Igor Gouvea em mais uma boa jogada de ataque.

Pampilhosense - Mocidade FC 3ªJ DH SA 25-09-2021

 

O Pampilhosense somou o terceiro triunfo consecutivo e continua sem sofrer golos. Na fase inicial do jogo, o Pampilhosense sentiu algumas dificuldades, dificuldades essas que foram ficando resolvidas ao longo do desafio, com a equipa a exibir-se a bom plano na etapa complementar, fase em que contribui o merecido resultado.

 

Trabalho regular da equipa de arbitragem.

 

Resultados:

Pampilhosense 3-0 Mocidade FC

Henrique (3)

 

Ac. Gândaras 1-2 Lousanense

União FC 4-0 Tourizense

Penelense 2-1 Nogueirense

Lagares da Beira 3-2 Atl. Arganil

 

Classificação:

Publicação1.jpg

 

Próxima Jornada:

Lousanense – Nogueirense

Tourizense SAD – Ac. Gândaras

Lagares da Beira – Penelense

Mocidade GFC – União FC

Atl. Arganil – Pampilhosense

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:49

EM DIA DE SOL, EXIBIÇÃO CINZENTA DOS SERRANOS

por ultraserranos4605, em 12.04.10

MOCIDADE FC - GD PAMPILHOSENSE

 3 - 0

 

.

24ª Jornada da 1ª Divisão Distrital Série A da AF Coimbra

Estádio: Campo da Serra, Cheira Penacova

Assistência: Cerca de 80 espectadores

Árbitro: Joaquim Ferreira

Auxiliares: Diogo Silva e Tiago Carrasqueira

Resultado ao Intervalo: 2-0

 

Pampilhosense:

Tiburcio, Fábio (Carlos Alegre 78m), Isidro, João Luís, Samuel Almeida, Rodrigo, Marco Alegre (Roldão 61m), Rabeca, Jorge Silva, Paulo Marques e David (Braçal 69m).

Suplentes: Braçal, Roldão e Carlos Alegre

Treinador: Carlos Alegre

Golos: Mocidade FC (15m, 34m e 70m)

 

 Depois de uma vitória na jornada passada frente ao campeão, o Pampilhosense partia para ente desafio frente à Mocidade FC com confiança num bom resultado. Já a equipa da casa, que ocupa o terceiro posto, partia como favorita no desafio, pois está na luta pela subida de divisão e proibida de perder pontos para não hipotecar os seus objectivos.

  

 

 A equipa da casa, a Mocidade FC, entrou bem no desafio. Beneficiou, nos primeiros 10m, de dois erros da equipa visitante que só não se traduziram em golo, porque os avançados da casa se mostraram algo perdulários. Na primeira ocasião, um remate em zona frontal, depois de uma perda de bola no ataque da equipa do GDP, faz passar a bola muito próximo do poste direito da baliza de Tiburcio. Já na segunda, em mais uma jogada rápida de ataque da Mocidade, um jogador da casa entra, pela esquerda, na área serrana e remata cruzado com muito perigo e sem ninguém a surgir para a emenda. Face ao que se assistia, foi sem surpresa que à passagem do primeiro quarto de hora a equipa da Mocidade FC se adiantou no marcador, na sequência de um livre na esquerda, com um jogador da casa a surgir solto ao segundo poste e a rematar a contar. Estava inaugurado o marcador, cabendo ao Pampilhosense correr atrás do prejuízo. Mas foi novamente a turma da casa que esteve perto de aumentar o placar, também de bola parada, desta feita na marcação de um livre da direita, que vai encontrar um jogador da Mocidade no coração da área serrana a cabecear à trave da baliza pampilhosense. O conjunto serrano só pouco depois dos 20m consegue equilibrar a contenda. Fruto do maior equilíbrio e sinal mais do conjunto visitante, Marco Alegre, aos 31m, vai surgir na direita e isolado conclui, sem êxito, uma boa jogada do ataque pampilhosense. O empate esteve próximo de acontecer, mas a resposta da Mocidade não tardou e terminou da melhor forma possível. Aos 34m nova jogada rápida do conjunto da casa com um jogador a partir de posição duvidosa para a baliza do GDP, este, na esquerda do seu ataque e só com Tiburcio pela frente, serve um companheiro que ao segundo poste apenas tem de encostar para o fundo da baliza. Este segundo tento veio serenar a toada do desafio e até ao intervalo o jogo iria desenrolar-se sobre a zona intermediária.

Na segunda parte o cariz do jogo manteve a mesma toada da parte final dos primeiros 45m. As duas equipas lutavam pela posse de bola sobre a zona central do terreno e nenhuma conseguia construir oportunidades de golo. O Mocidade FC, a vencer por 2-0, controlava o jogo enquanto a Pampilhosense tentava reduzir a desvantagem mas sem resultados práticos. Nos minutos iniciais do reatamento apenas um lance de registo, com Marco Alegre a cabecear atrasado à procura de um colega que não surgiu para concluir a jogada. E assim se manteve a toada morna do encontro até ao minuto 69, altura em que surge um jogador da Mocidade FC isolado perante Tiburcio, o guardião serrano acaba por derrubar em falta o avançado contrário dentro da grande área e o árbitro da partida assinala a grande penalidade, mostrando o segundo cartão amarelo ao jogador pampilhosense que, assim, vai tomar banho mais cedo. Na marcação, e já com Braçal na baliza, o jogador da Mocidade FC não perdoa e resolve de vez a partida ao colocar a sua equipa em vantagem por 3-0. A jogar com menos uma unidade a equipa do Pampilhosense sentiu ainda mais dificuldades, com os da casa a aproveitarem os espaços dados pela defensiva visitante criando lances para voltar a dilatar o marcador. Aos 75m um jogador da equipa da casa surge com espaço na grande área serrana e remata colocado para boa defesa de Braçal, de seguida o avançado da Mocidade FC aparece isolado na direita mas não consegue ultrapassar o guardião do Pampilhosense. Já perto do final do desafio seria Rabeca a salvar sobre a linha de golo o que seria o quarto tento do conjunto da casa. 

 Perante uma equipa que luta pela subida de divisão e a jogar em casa, o conjunto de Pampilhosa da Serra não conseguiu impor a sua estratégia, que cedo saiu gorada face ao golo madrugador do conjunto de Penacova. A equipa do Pampilhosense ainda esboçou a reacção ao primeiro golo sofrido, mas depressa a Mocidade FC fez o segundo e até final controlou o seu adversário não deixando o GDP com capacidade de resposta.

 

O trio de arbitragem fez uma exibição positiva, apenas mostrou alguma dualidade de critérios no capítulo disciplinar com prejuízo para os visitantes, mas, à excepção deste reparo, a nota global pelo trabalho realizado é positiva. 

  

Resultados:

 

Lagares Beira 1-1 São Pedro Alva

 Ricardo (LdB);

  

Atl. Arganil 1-3 Arouce-Praia

Galego (AAA);

 

 Esperança 4-3 Adémia 

Carlos Pinheiro (2), João Rebelo e Ricardo Silva (EAC); Mário Simão e Mamadu (Ade)

 

 Mocidade 3-0 Pampilhosense

  

Lorvanense 1-5 Eirense

- ; Agostinho (2), Mario Morcego, Telmo e Bombeiro (UCE)

 

 Agrário Lamas 2-3 Góis 

- ; Ricardo (3) (Goi)

  

Classificação:

  

 Próxima Jornada:

S. Pedro Alva - Atl. Arganil
Arouce Praia - Mocidade FC
Pampilhosense - Esperança
Adémia - Lorvanense
Eirense - Agrário Lamas
Góis - S. Mamede 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:54

EMPATE QUE ATÉ SE JUSTIFICA

por ultraserranos4605, em 14.12.09

GD PAMPILHOSENSE - MOCIDADE FC

    1 - 1  

.
11ª Jornada da 1º Div/Distrital Série A da AF Coimbra
Estádio: Municipal de Pampilhosa da Serra
Assistência: Cerca de 90 espectadores
Árbitro: Carlos Costa
Auxiliares: Ana Figueiredo e Leonardo Proença
Resultado ao intervalo: 0-1
 
GD Pampilhosense: Braçal, Fábio (Jorge Silva 66m), João Luís, Isidro (João Neves 74m), Samuel Almeida, Rodrigo, Pedro Barata, Rabeca, Paulo Marques, Maky (Deco 56m) e Carlos Alegre.
Suplentes: Tiburcio, Capitão, Jorge Silva, David, Deco, João Neves e Diogo Isidoro.
Treinador: Carlos Alegre
 
Golos: Mocidade (34m) e Paulo Marques (GDP) (85m).
 
Em tarde agradável para a prática desportiva, o GD Pampilhosense voltava a receber a equipa da Mocidade FC, isto no espaço de cinco dias. Se na terça-feira, a contar para a Taça, os serranos venceram por 2-1, desta feita a contar para o campeonato o jogo advinha-se de maior grau de dificuldade, até porque a equipa que viajou de Penacova está realizar um excelente campeonato, onde ocupa o segundo posto da geral em luta acesa pela liderança.
 
Tal como o tempo morno, assim começou também a partida. Aliás, foi essa a imagem de quase toda a primeira parte. As duas equipas entraram muito cautelosas, nenhuma arriscava e o jogo tornava-se muito mastigado a meio campo. Durante a primeira meia hora o único lance que merece registo surgiu num livre de Rodrigo, com Alegre bem posicionado a cabecear a figura do guardião forasteiro. Mas pouco depois da meia hora vai aparecer o primeiro golo da tarde. A jogada principia no meio campo contrário num lance em que o árbitro assinala uma falta de um jogador serrano, quando ficou bem claro exactamente o contrário, de tal forma que os jogadores pampilhosenses já se preparavam para cobrar o lance. No entanto o árbitro assim não entendeu e a equipa da Mocidade marca de forma rápida o livre. A equipa serrana, descompensada na defesa, permite um remate de fora da área, a bola vai embater na trave mas caprichosamente sobra para o avançado visitante que, de cabeça, faz o golo. Nenhuma equipa merecia estar em vantagem, e nem este golo veio acordar os jogadores que continuaram bem serenos, isto até aos 44m, altura em que surge, no espaço de um minuto, uma oportunidade de golo para cada lado. Primeiro o jogador da Mocidade sozinho na direita remata cruzado com a bola a passar muito próximo do poste direito da baliza do GDP, na reposição de bola o Pampilhosense constrói uma boa jogada que termina com o remate de Rabeca, no interior da área, para grande defesa do guarda-redes visitante. O intervalo chega logo a seguir, e estes dois lances a terminar deixavam antever uma segunda metade bem mais animada depois de 45m bastante monótonos em que ninguém mereceu marcar.
 
A segunda metade só poderia ser melhor, e caberia à equipa da casa entrar com outra disposição para tentar correr atrás do prejuízo. No entanto foi a equipa visitante, que praticamente no pontapé de saída, consegue criar uma situação soberana para marcar, o avançado isolado na direita remata forte para defesa do guardião Braçal. A resposta do Pampilhosense não tardou e Rabeca cabeceia para também uma boa defesa do guarda-redes contrário, a bola ainda sobra para o segundo poste onde surge Paulo Marques que perde também a oportunidade para empatar. O jogo passou do oito (na primeira parte) para o oitenta (agora na segunda), o Pampilhosense carregava em busca do empate, já o Mocidade respondia com rápidas jogadas de contra-ataque, onde a velocidade dos seus homens da frente punham em sentido a defensiva da casa. No entanto era o Pampilhosense que melhor se apresentava sobre o rectângulo de jogo, como aliás assim lhe competia pois estava em desvantagem no marcador. E o empate poderia ter surgido por volta da meia hora desta segunda metade, na sequência de um livre directo, com Rabeca a atirar ao poste quando já se festejava o golo. A equipa da casa ameaçava, criava lances de perigo junto da baliza adversária, mas a igualdade tardava em surgir. No entanto a entrega dos jogadores serranos iria ser compensada, aos 85m numa boa jogada de envolvimento do seu ataque, Rabeca na direita faz um “cruzamento remate” e Paulo Marques surge ao segundo poste para igualar merecidamente a partida. Um golo que à muito o Pampilhosense justificava, tentando agora alcançar a vitória, não se limitando a defender o empate. A equipa visitante, nesta fase, aproveitou o adiantamento do GDP e até criou uma boa ocasião para marcar, com um jogador solto de marcação na direita que rematou muito torto. Já em período de compensação um atleta visitante iria ver a cartolina vermelha ficando a Mocidade a disputar os últimos minutos com menos uma unidade.
 
Ao terceiro encontro da temporada entre as duas equipas registou-se o resultado que faltava, o empate. A primeira parte foi de meter dó, muito fraca a nível técnica, sem entrega dos jogadores ao jogo. Mesmo assim foi nesse período que surgiu o tento dos visitantes. Na segunda parte o jogo foi bem mais animado em que o Pampilhosense fez por merecer o empate e até podia aspirar à vitória. Para quem pagou bilhete só a segunda metade valeu pelo dinheiro investido.
 
O trio de arbitragem cometeu muitos erros, os auxiliares nem sempre estiveram bem a nível técnico. O golo visitante nasce de uma falta nítida a favor dos da casa que o árbitro transformou em benefício dos visitantes. Já o golo do empate foi bastante protestado pela equipa da Mocidade por possível fora de jogo do jogador pampilhosense.
 
 
 
Resultados:
.
São Pedro Alva 3-0 Lagares Beira
Marcio (2) e Batista
 
.
Arouce-Praia 1-3 Atl.Arganil
- ; André, Galego e Ricardo Batista (AAA)
.
Ademia 5-0 Esperança
Yau, Cunha, Lito, Daniel e Autogolo
.
Eirense 5-0 Lorvanense
Agostinho (2), Jaria, Autogolo e Ferraz
.
Pampilhosense 1-1 Mocidade FC
Paulo Marques (Pamp);Xaró (MFC)
.
Góis 10-0 Agrário Lamas
Ricardo (3), Serra (2), Seco (2), Moita (2) e Bruno
.
.
Classificação:
.
..
Próxima Jornada:
.

Atl. Arganil – S. Pedro Alva

Mocidade – Arouce Praia

Esperança – Pampilhosense

Lorvanense – Adémia

Lamas – Eirense

S. Mamede – Góis

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:50

DESPEDIDA DA TAÇA DE CABEÇA ERGUIDA

por ultraserranos4605, em 09.12.09

GD PAMPILHOSENSE - MOCIDADE FC

    2-1  

2ª Mão da I Eliminatória da Taça AF Coimbra
Estádio: Municipal de Pampilhosa da Serra
Assistência: Cerca de 80 espectadores
Árbitro: Cátia Tavares
Auxiliares: Sandra Mendes e Paulo Mendes
Resultado ao intervalo: 1-1
 
GD Pampilhosense: Tiburcio, Fábio, Rodrigo, Isidro, Samuel Almeida, Capitão (Maky 54m), Pedro Barata, Deco (João Neves 77m), Rabeca (Jorge Silva 45m), Paulo Marques e Carlos Alegre.
Suplentes: Braçal, Jorge Silva, Diogo Isidoro, João Neves e Maky.
Treinador: Carlos Alegre
 
Golos: Carlos Alegre 16m e 78m; Mocidade FC 18m.
 
Depois do desgastante jogo de domingo em Arganil, a equipa do Pampilhosense recebeu ontem o Mocidade FC em desafio da 2ª Mão da I Eliminatória da Taça AFC. A equipa serrana trazia uma dura desvantagem da 1ª Mão onde perdeu por 7-2. A tarefa em virar a eliminatória era por isso complicado, mas a equipa do GDP tinha a vontade de demonstrar que esse mau resultado não passou de um mero acidente.
 
Os primeiros minutos do desafio foram algo mornos, mas cedo se percebeu que a turma da casa estava disposta a apagar a má imagem deixada na primeira mão da eliminatória. Por isso aos 16m, e depois de já ter criado um ou dois lances de relativo perigo para a baliza visitante, a equipa do Pampilhosense adianta-se no marcador na sequência de uma bola parada. Foi Rodrigo que cruzou e Carlos Alegre vai ao primeiro andar e faz de cabeça o golo. Marcar cedo podia animar os da casa para, e quem sabe, tentar até o impossível, mas nem tempo houve para esboçar o ataque ao segundo golo. Isto porque a reacção da Mocidade FC foi quase imediata, e passados apenas dois minuto empata a partida num bom lance colectivo que principia na direita, surgindo a finalizar um jogador que, na cara de Tiburcio faz o golo com facilidade. A equipa serrana procurou voltar de novo à vantagem, mas só em lances de bola parada conseguia criar algum perigo, á excepção foi numa jogada da direita de onde Fábio cruza e o guardião visitante facilita mas Paulo Marques não consegue aproveitar o deslize. Já o conjunto que viajou de Penacova também procurava o golo, através de lançamentos rápidos para as costas da defensiva pampilhosense que com maior ou menor dificuldade acabava sempre por resolver os problemas. No entanto as oportunidades de golo escasseavam e seria sem surpresa que se chegaria ao intervalo sem que o marcador voltasse a funcionar.
 
Na segunda metade o cariz de jogo foi bem diferente, bem mais mexida a partida com a equipa da casa a dispor de uma excelente oportunidade para marcar logo nos primeiros minutos de reatamento. Na marcação de um pontapé de canto Pedro Barata desvia ao primeiro poste e Paulo Marques falha de cabeça ao segundo. A equipa da casa era a mais esclarecida no miolo do terreno, desenhando boas combinações e com maior velocidade. Numa dessas boas jogadas, talvez a melhor a nível colectivo dos da casa, Paulo Marques vai surgir na cara do guardião visitante mas atira ao poste, na recarga Carlos Alegre também não consegue melhor e perde tempo para o remate. Os visitantes não conseguiam criar ocasiões de perigo, mas até estiveram perto de marcar, numa oferta da defensiva da casa na tentativa de atraso para o guardião Tiburcio, o avançado visitante deslumbrou-se com a oferta e o chapéu sai por cima da trave. Mas aos 78m, João Neves acabado de entrar, tem uma excelente abertura para a esquerda onde Paulo Marques consegue ganhar a linha de fundo e cruzar para o mergulho de Carlos Alegre que, novamente de cabeça, volta a adiantar a sua equipa no marcador. Este golo para os da casa já se justificava a algum tempo, tanto pelas boas jogadas desenvolvidas como pelas oportunidades criadas. Os visitantes tentaram responder e quase beneficiavam de um lance em que Pedro Barata fica perto do auto-golo. No entanto a partida estava controlada pelos locais, embora os visitantes dispusessem de dois cantos consecutivos em período de compensação que criaram algum nervosismo na equipa serrana.
 
A vitória é justa e merecida da equipa que construiu mais oportunidades para marcar. Depois de uma primeira parte morna, embora com dois golos, foi na segunda que o jogo animou um pouco mais e o Pampilhosense fez por merecer uma vitória que não chega para seguir em frente na prova. O GDP despede-se assim de cabeça erguida da Taça demonstrando que o resultado da 1ª mão não passou de um mau dia.
 
O trio de arbitragem realizou um trabalho positivo. Apenas um reparo, perdoou em período de compensação uma expulsão a um jogador visitante. Entende-se que não quis faze-lo a um minuto do termino do desafio, mas no próximo encontro do campeonato o GDP volta a receber esta mesma Mocidade que vai poder contar com o contributo deste jogador!
 
Resultados:
.
São Pedro Alva 5x1 Touring + (1x1 = 6x2)
 Marcio, Carlos, Pedro, Batista e Autogolo (SPA); Pimpão (Tou)

Lagares Beira 2x1 (a.p) Seixo Mira + (2x2 = 4x3)
Mário e Ricardo (LdB); Zorro (SdM)

Arouce-Praia 1x3 São Mamede + (1x5 = 2x8)

Febres 6x0 Lorvanense + (7x0 = 13x0)

Cernache 1x1 Vilanovense + (1x2 = 2x3)
 Pipoca (Cer); André Costa (Vil)

Casa Benfica Soure 2x1 Agrário Lamas + (1x3 = 3x4)
Nelson e Patricio (CBS);

Esperança 0x0 Atl. Arganil + (0x3 = 0x3)

Os Águias 1x0 Eirense + (0x3 = 1x3)
 
Ançã 3x0 Vinha Rainha + (1x0 = 4x0)
 Luis André Marques [2]; Romeu Matoso
 
Pampilhosense 2x1 Mocidade FC + (2x7 = 4x8)
Carlos Alegre (2); Tonito (MFC)
 
Cadima 2x3 Adémia + (0x4 = 2x7)
 Cunha, Joel Valença e Marcio
 
Pereira 2x0 Góis + (0x3 = 2x3)
.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:03

TAÇA AFC - 2ª MÃO

por ultraserranos4605, em 07.12.09

   VS  

Porque o futebol não pára amanhã a equipa do Pampilhosense vai receber no seu estádio a equipa do Mocidade FC, em jogo a contar para a I Eliminatória da Taça AFC 2ª Mão. Recordamos que no primeiro confronto a equipa serrana trouxe de Penacova uma pesada derrota de 7-2, assim sendo, para seguir em frente na prova o Pampilhosense terá de vencer amanhã por cinco golos de diferença. Árdua tarefa para os pupilos de Carlos Alegre que ainda estão a digerir a derrota de ontem em Arganil. O jogo tem inicio marcado para as 15:00 horas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:09

UM FILME DE TERROR COM SETE CAPÍTULOS

por ultraserranos4605, em 09.11.09

 

 MOCIDADE FC - GD PAMPILHOSENSE

  7  - 2 

.
I Eliminatoria da Taça AFC – 1ª Mão
Estádio: Campo da Serra em Cheira - Penacova
Assistência: cerca de 60 espectadores
Árbitro: Ivo Fernandes
Auxiliares: Duarte Santos e João Santos
Resultado ao intervalo: 4-1
 
GD Pampilhosense: Braçal, Rabeca, Rodrigo, Pedro Barata, Fábio, Capitão (Filipe Brito 55m), João Luís, Marco Alegre (Jorge Silva 73m), Deco (Ricardo Marques 30m), Paulo Marques e Marco Santos.
Suplentes: Filipe Brito, Isidro, Carlos Alegre, Ricardo Marques, Jorge Silva, David e Roldão
Treinador: Carlos Alegre
Golos: 
Mocidade: (14m, 21m, 29m, 33m, 55m, 69m, 71m);
Pampilhosense: João Luis 4m. Paulo Marques (pen) 90m.
 
A contar para a 1ª eliminatória da Taça da AFC – 1ª Mão – o Pampilhosense deslocou-se a Cheira para defrontar a equipa da Mocidade FC. Dois conjuntos que disputam a 1ª Divisão Série A estando a realizar uma boa campanha no campeonato. Por isso avinhava-se uma partida equilibra, mas os 90m demonstraram exactamente o contrário.
 
A equipa de Pampilhosa da Serra até entrou bem no desafio com um golo madrugador de João Luís que, aos 4m, rematou de fora da área e inaugurou o marcador. A equipa do concelho de Penacova despertou e respondeu de imediato, forçando o guardião visitante a duas defesas em poucos minutos. O golo do empate surgiu à passagem do minuto 14, na sequência de um pontapé de canto com um jogador da casa a rematar cruzado para o fundo das redes serranas. A partir daqui a equipa pampilhosense não mais se encontrou, e o Mocidade carregou e sempre que chegou à área do GDP concluía as jogadas com sucesso. Foi assim no minuto 21, com um remate cruzado à saída do guardião pampilhosense, ao minuto 29 numa rápida jogada na direita com o avançado a concluir de cabeça no coração da área e, ao minuto 33, numa rápida jogada de contra ataque em que o avançado da Mocidade perante Braçal assina o quarto tento para a sua equipa. Foram 20 minutos de completo desnorte da equipa do Pampilhosense em que a turma da casa, mais esclarecida e eficaz, aproveitou para virar e avolumar o marcador. O intervalo chegava com um resultado esclarecedor.
 
Na segunda metade o Pampilhosense ainda esboçou uma reacção, com objectivo de reduzir a diferença no marcador. Mas a tendência dos primeiros 45m manteve-se e a equipa do Mocidade continuava a desenhar jogadas de ataque a seu belo prazer. Aos 55m o placar voltava a funcionar, nova jogada rápida na direita do seu ataque com o jogador da casa a concluir de cabeça um bom cruzamento, estávamos com 5-1, resultado já pesado para as hostes pampilhosenses. No entanto a equipa da casa não ficaria por aqui, e o filme de terror haveria de ter ainda mais dois capítulos para mal do conjunto do GDP. Aos 69m novo golo para o Mocidade, remate á entrada da área e bola no interior da baliza do Pampilhosnese, dois minutos depois surge o 7-1 numa boa jogada de ataque com conclusão fácil do avançado da casa que encosta para o fundo da baliza serrana. O jogo estava a ser um pesadelo para a equipa do Pampilhosense, que via o Mocidade a jogar e a construir um resultado histórico para a equipa serrana. Já perto do final, Rabeca ainda atirou à trave na sequência de um livre directo e sobre o minuto 90 Paulo Marques estabelece o resultado final em 7-2 ao marcar uma grande penalidade.
 
Com um resultado destes pouco à a referir, os números são esclarecedores e demonstram uma exibição muito cinzenta da equipa do Pampilhosense em que tudo saiu mal, ao contrário da Mocidade FC em que tudo saiu bem. Há dias assim, em que mais vale nem sair de casa!!! Este resultado praticamente afasta a equipa serrana da próxima eliminatória da Taça AFC, concentrando-se agora as forças para o campeonato que é o principal objectivo do Pampilhosense.
 
O trio de arbitragem passou discreto no desafio. Sem nada a apontar.
 
Resultados:
 
Lorvanense 0-7 Febres
Paulinho (3); André (2) , Fabricio e Palhal
 
Vilanovense 2-1 Cernache
André Costa e Amadeu (Vil);Tiago Durães (Cer)
 
Atl. Arganil 3-0 Esperança
Ricardo Batista (2) e João Batista
 
Agrário Lamas 3-1 Casa Benfica Soure
Luis Dias (2) e Bruno Paiva (AdL);Nelson (CBS)
 
Seixo Mira 2-2 Lagares Beira
Arhur Pito (2) (SdM);Ferrão e Carlos Alves (LdB)
 
Touring 1-1 São Pedro Alva
Mauro Custódio (Tou) ; Claudio (SPA)
 
Gois 3-0 Pereira
Tantan, Ricardo e Serra
 
Mocidade FC 7-2 Pampilhosense
Renato (2), Xaró, David, João, Tonito e Danilo (MFC);João Luis e Paulo Marques (GDP)
 
Eirense 3-0 Os Águias
Fábio, Mauro e João Jaria
 
Adémia 4-0 Cadima
Mamadu (2), Juca e Lito
 
São Caetano 3-0 Sepins
João Pedro (2) e Carlos Afonso
 
Vinha Rainha 0-1 Ançã
Hugo Lourenço
 
São Mamede 5-1 Arouce-Praia
Carlos Rosário (2), Ed, Gonçalo e Vitor Daniel (SaM);Tó-Zé (A-P)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:44

MARCAR CEDO E SABER GERIR A VANTAGEM

por ultraserranos4605, em 02.03.09

GD PAMPILHOSENSE - MOCIDADE FC 

    1 - 0    

.
.
21ª Jornada da 1º Div/Distrital Série A da AF Coimbra
Estádio: Campo Pampilhosense
Assistência: Cerca de 70 espectadores
Árbitro: Frederico Oliveira
Auxiliares:
Resultado ao intervalo: 1-0
 
 GD Pampilhosense: Diogo, Rabeca, João Luís, Rodrigo, Samuel, Capitão, (Pedro Barata 60m), Filipe Brito, Marco Alegre, Carlos Alegre (Isidro 90m), Paulo Marques e João Neves (Ricardo Marques 63m).
Suplentes: Braçal, Isidro, Roldão, Samuel Carlota, Chapa, Ricardo Marques e Pedro Barata.
Treinador: Carlos Alegre
Golos: Carlos Alegre 12m.
 
O GD Pampilhosense recebeu ontem a equipa do Mocidade em jogo a contar para a 21º jornada. Naquela que seria a última partida do GDP, em casa, nesta 1ª fase, o objectivo era claramente vencer e tentar encurtar a distância para os três primeiros classificados. A equipa visitante vinha obrigada a vencer, isto para poder aspirar a um dos dois lugares ainda disponíveis que, dão aceso à fase de apuramento de campeão.
 
Os primeiros minutos foram de algum estudo mútuo das equipas. Mas aos 12m a formação da casa adianta-se no marcador por intermédio de Carlos Alegre que, oportuno, aproveita uma defesa incompleta do guarda redes da Mocidade a um livre de Rodrigo. A equipa do Pampilhosense não poderia desejar melhor início e cabia à formação visitante correr atrás do prejuízo. Coisa que a equipa de Penacova fez, começando a criar algumas situações de maior aperto à defensiva pampilhosense. Aos 20m Diogo é forçado a defender para afrente um remate do adversário, na recarga o avançado do Mocidade atira por cima. Os visitantes ameaçavam e à passagem da meia hora nova oportunidade para empatar. Um passe da equipa da casa é interceptado por um jogador visitante que, depois de uma boa combinação com um colega, surge na cara do guarda-redes do GDP, mas este faz nova defesa e evita o golo. O Pampilhosense despertou com estes dois “sustos” e responde de imediato, por intermédio de Paulo Marques, que bem posicionado na esquerda remata para defesa do guarda-redes contrário. Pouco depois, aos 38m, uma boa jogada do Pampilhosense na direita, com superioridade numérica na área do Mocidade, só não termina em golo porque o defensor visitante corta extremis para o poste a bola que certamente terminaria no fundo da baliza da Mocidade. Assistiu-se a uma primeira parte movimentada, com um golo madrugador que ao intervalo fazia a diferença.
 
A etapa complementar inicia com uma ocasião de relativo perigo para a baliza da casa, um remate da meia distância do jogador da Mocidade permite uma defesa atenta de Diogo. E esta seria a situação de maior perigo criada pela equipa visitante em toda a segunda parte. Muito pouco para quem estava em desvantagem do marcador. Pois apesar de uma maior posse de bola, a formação da Mocidade nunca foi capaz de criar um lance de golo eminente, porque a equipa do GDP bem organizada, não permitia ao adversário chegar com perigo à sua área. E era mesmo o Pampilhosense que em contra-ataque desperdiçou varias oportunidades para resolver de vez a questão. A mais flagrante coube a Paulo Marques, aos 63m, que completamente isolado rematou muito ao lado, quando tinha tudo para fazer o golo. Também Rabeca desperdiçou duas boas oportunidades, se na primeira demorou muito tempo para rematar, já na segunda remata de pronto mas o guardião contrário tem uma boa defesa. Também Marco Alegre poderia ter marcado, não fosse uma saída corajosa do guarda-redes visitante a negar-lhe a possibilidade de chapéu. Até final a toada de jogo não se alteraria, a formação da Mocidade arriscava tudo para chegar ao empate, mas sem nunca conseguir entrar na área contrária, enquanto o Pampilhosense aproveitava os espaços na defensiva adversária para lançar rápidos contra-ataques, criando situações de muito perigo à baliza da Mocidade. Faltou, em algumas ocasiões, maior calma e discernimento aos avançados da equipa serrana para concluir com sucesso tantas situações construídas. Mas até ao último apito o marcador não sofreria alterações.
 
Foi um jogo com um justo vencedor. Marcar cedo ajudou a equipa do Pampilhosense, e permitiu controlar o desafio jogando da forma que mais gosta de fazer, em contra-ataque. E na segunda parte foram várias as oportunidades para poder sentenciar o desafio, mas a falta de pontaria da equipa do GDP permitiu ao Mocidade, em qualquer momento, a possibilidade de chegar ao empate. Mas foi uma equipa mais perigosa no decorrer da primeira parte do que na segunda.
 
A equipa de arbitragem merece nota positiva. Esteve bem no aspecto técnico mas um pouco mal no disciplinar. Pois foram várias entradas, duras, de jogadores visitantes que o árbitro da partida não castigou com a amostragem de cartões.
 
O Golo:
 
.
.
Resultados:
.
Agrário Lamas 2-0 Os Idosos
Carlos Paulo e Taborda
São Pedro Alva 0-0 Académica/SF
Góis 0-0 Lagares Beira
Eirense 0-0 Coja
Pampilhosense 1-0 Mocidade FC
Carlos Alegre
.
Classificação:
.
.
Próxima Jornada:
.
Mocidade FC - Lamas
Lagares da Beira - Pampilhosense
COJA - Góis
Académica SF - Arouce Praia
Idosos - S. Pedro Alva
.
Para terminar uma palavra de agradecimento aos cozinheiros “Joana” e “Leitão” que prepararam uma saborosa feijoada para os jogadores (e não só) serranos festejarem mais uma vitória, a 11ª da temporada.
.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:41

HÁ COISAS INEXPLICÁVEIS...

por ultraserranos4605, em 12.01.09

MOCIDADE FC - GD PAMPILHOSENSE

   2 - 0

 
 
10ª Jornada da 1º Div/Distrital Série A da AF Coimbra
Estádio: Campo da Serra em Penacova
Assistência: Cerca de 80 espectadores
Árbitro:
Auxiliares:
Resultado ao intervalo: 1-0
 
 GD Pampilhosense: Braçal, Ricardo Marques, João Luís, Pedro Barata, Samuel (Roldão 77m), Rodrigo, Filipe Brito, Marco Alegre (João Neves 60m), Rabeca, Carlos Alegre e Paulo Marques.
Suplentes: Diogo, Capitão, Isidro, Roldão, Chapa, Deco, e João Neves.
Treinador: Carlos Alegre
 
O GDP deslocou-se a Penacova para acertar o calendário, disputando uma partida que se encontrava em atraso da 10ª jornada. Um confronto em que o Pampilhosense só tomou conhecimento da sua realização, por parte da AFC, na terça-feira passada, quando a equipa já tinha em mente o desafio em Miranda do Corvo a contar para a Taça AFC. Outro caso que comprova a forma de como esta equipa (ou as equipas da distrital) são desprezadas pela AFC é o facto de não se ter nomeado qualquer árbitro para dirigir o encontro. As duas equipas foram surpreendidas pelo episódio e forçosamente foi necessário escalonar uma equipa de arbitragem do público, dois elementos nomeados pelos da casa, um pelos visitantes.
 
Coisas inadmissíveis acontecem no futebol distrital sénior da AFC!!!
 
Relativamente ao jogo, ele iniciou com um lance de muita polémica, num cruzamento-remate na esquerda de Rabeca, o guarda-redes da casa agarra a bola depois desta ultrapassar a totalmente a linha de golo, o árbitro assim não entende e manda jogar. As coisas não começaram bem, e assim continuariam… Cerca dos 20m, Rabeca tem uma arrancada fulgurante na esquerda, consegue isolar-se entrando na área contrária, onde surge um jogador da Mocidade que rasteira por trás o jogador pampilhosense, penalidade indiscutível que o árbitro não poderia ter dúvidas em assinalar. Penalti marcado mas ficou por mostrar um cartão ao jogador da Mocidade que poderia ser o vermelho, pois Rabeca estava isolado em óptima posição para finalizar com êxito. Na marcação da grande penalidade Paulo Marques atira muito por cima. O GDP desperdiça aqui uma soberana oportunidade de se adiantar no marcador. Pouco depois um derrube de um jogador da casa na área pampilhosense e o árbitro assinala nova grande penalidade, desta feita a favor dos da casa. O jogador da Mocidade encarregue de marcar permite a defesa do guarda-redes serrano, que assim mantém o nulo no placar. Os ânimos estavam exaltados, com muitas situações em que os jogadores serranos protestavam as decisões polémicas do árbitro que dirigia o encontro. Relativamente ao jogo jogado, as equipas não estavam a apresentar um bom espectáculo, praticando um futebol com pouca circulação de bola, em que imperavam jogadas mais directas a solicitar o ataque. Numa das poucas situações de troca de bola da equipa serrana, Paulo Marques surge na cara do guardião da casa mas atira ao lado. Os últimos minutos da primeira parte foram jogados na área do GDP. Lances que o auxiliar marcava pontapé de baliza, mas o árbitro ignorava a sinalética assinalando pontapé de canto, assim foram marcados 3 ou 4 consecutivos. No último pontapé de canto, enorme confusão na área, falta sobre o guarda-redes que não é assinala, a bola vai à trave e ressalta no pelado sobre a linha de baliza, o árbitro não tem duvidas e assinala golo. A bola vai ao centro e termina a primeira metade.
 
Na segunda metade o Pampilhosense arriscou tudo para tentar chegar a igualdade, mas as coisas não saiam bem à equipa serrana e as tentativas de ataque esbarravam quase sempre na muralha defensiva da equipa da casa. Mas não se pense que a equipa da Mocidade se limitava a defender, a jogar em contra-ataque, criava algumas situações de perigo para a baliza visitante, ameaçando a obtenção de um segundo golo que resolveria de vez a questão. Perto da meia hora de jogo da segunda metade, Rabeca tem uma soberana oportunidade de igualar, quando à entrada da pequena área, solto de marcação, remata mal, ao lado. Pouco depois é Alegre que de cabeça atira por cima. Os da casa respondiam em contra-ataque, e numa rápida jogada isolam um jogador que não aproveita e atira ao lado. Esta segunda parte, tem muito pouco para contar, com muitas paragens o jogo arrastava-se para o seu final já com a luz natural a escassear. Numa das últimas jogadas do desafio os da casa chegam ao segundo tento, livre marcado para a área pampilhosense com um jogador da casa a receber rematando cruzado para o fundo da baliza serrana. O jogo terminava pouco depois.
 
Foi uma partida muito fraca a nível técnico. Com a bola a ser, em muitas situações, muito mal tratada. A arbitragem merece poucos comentários, apenas referir que na segunda parte o senhor do apito esteve melhor. Esta é uma situação que em nada dignifica o futebol distrital de Coimbra, quando são os responsáveis máximos a dar exemplos de uma tremenda falta de organização, qual é a “moral” destas entidades para exigirem “isto ou aquilo” dos clubes que sobrevivem à custa de muito trabalho e dedicação de associados e adeptos!
 
 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:32

MONOTONIA QUEBRADA SÓ NOS DESCONTOS

por ultraserranos4605, em 17.03.08
MOCIDADE FC - GD PAMPILHOSENSE
    1 - 0 
.
.
 20ª Jornada da 1º Div/Distrital Série A da AF Coimbra
Estádio: Campo da Serra, Cheira
Assistência: cerca de 70 espectadores
Árbitro: Fábio Serra
Resultado ao intervalo: 0-0
 
GD Pampilhosense: Braçal, Alex, João Luís, Pedro Barata, Ricardo Marques, Filipe Brito, Ivo Alegre, Marco Alegre, Samuel Laranjeiro (Picasso 74m), Rabeca e C. Alegre (João Neves 94m).
 
Suplentes: Chapa, Deco, Picasso, João Neves, Marcelo
 
Treinador: C. Alegre
 
O GD Pampilhosense deslocou-se ontem, ao campo do Mocidade FC, com o intuito de dar continuidade à série de cinco jogos consecutivos, sem conhecer o sabor da derrota. A equipa serrana vinha de uma moralizadora vitória, no seu reduto, perante o Eirense, enquanto que, a formação de Penacova, vinha de uma derrota, e precisava dos três pontos em jogo para manter a esperança na subida.
 
O jogo inicia com uma boa oportunidade para a equipa da casa, cruzamento largo e um jogador do Mocidade em boa posição atira ao lado. A partir daqui assistiu-se a um encontro muito disputado sobre a zona intermediária. As duas equipas sentiam muitas dificuldades para encontrar espaços nas defensivas contrárias. Sendo os lances de bola parada uma solução para visar as balizas adversarias. Nesse aspecto era o Pampilhosense, que através de alguns pontapés de canto, conseguia criar algum perigo na área da casa, mas os lances quase sempre morriam nas mãos do guardião da Mocidade. O jogo caminhava a passos largos para o intervalo, sem que nenhuma equipa justifica-se a vantagem no marcador. Uma partida muito táctica, em que quase só se jogou na zona central do terreno. Os dois guarda-redes foram quase que, simples espectadores do encontro, e o nulo ao intervalo justificava-se plenamente.
 
A segunda parte não foi muito diferente da primeira. Os lances de perigo escasseavam, embora a Mocidade fosse a equipa com mais posse de bola. A equipa serrana tentava aproveitar algum balanceamento atacante do conjunto da casa, para em contra ataque, chegar à baliza adversária. Mas as duas equipas, muito organizadas defensivamente, não permitiam grandes espaços aos avançados. A partida estava monótona, sem grandes motivos de interesse, aproximando-se o final do encontro, com os da casa a lançarem-se ao ataque, mais com o coração do que com cabeça, através de bolas bombeadas para a área serrana. É só nos 6m de compensação dados pelo árbitro da partida, que o encontro vive alguma emoção. Primeiro é o GDP que fica reduzido a 10 elementos, com Ricardo Marques a ver o segundo amarelo por suposta falta junto à linha lateral, e mesmo sobre o apito final (95m), o golo da equipa da casa. Falta assinalado sobre a zona intermediária com a bola a ser lançada para o interior da área serrana, um jogador da casa apodera-se da bola e serve o colega, que ao segundo poste encosta para golo com alguma felicidade. Neste lance fica a sensação de que o marcador do golo se, encontrava algo adiantado relativamente ao último defensor pampilhosense. O jogo termina logo a seguir.
 
Num jogo fraco a nível de oportunidades de golo, o único que aconteceu “caiu do céu” para a equipa da casa. O nulo seria o resultado mais justo, aquele que melhor descreve o que aconteceu no decorrer dos 90m.
 
Quanto à equipa de arbitragem teria levado nota máxima, não fosse o último lance do desafio em que deu o único golo do encontro. Aí ficou a nítida sensação de o jogador da Mocidade FC, se encontrava adiantado relativamente ao último defesa pampilhosense. A meio da segunda metade, um livre directo apontado por Ivo Alegre, levou a bola a embater no braço de um jogador da casa que se encontrava na barreira, isto dentro da área, o árbitro entendeu ser acidental, merece no entanto o benefício da dúvida. Embora existam estes lances de incerteza, a arbitragem no global, foi bem melhor daquilo que já estamos habituados nesta 1ª distrital.
.
Algumas Imagens do desafio:
.
 
.
Resultados:
Eirense 1-1 Académica
Mocidade 1-0 Pampilhosense
COJA 2-4 Poiares
Idosos 2-2 Arouce Praia
Trav. Lagos 2-1 SP Alva
.
.
Próxima Jornada:
Académica - Mocidade
Pampilhosense - COJA
Poiares - Idosos
Arouce Praia - Trav. Lagos
SP Alva - Adémia

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:58


. ............ . . .

.